RêVivendo Viagens

RêVivendo Viagens

Elephant Nature Park - Como interagir de forma ética com elefantes na Tailândia

Renata Campos | 27.4.17 | | | | | | | Seja o 1º a comentar!!
Como interagir de forma ética com elefantes na Tailândia


O elefante é o animal típico da Tailândia! Mas apesar de ser quase endeusado por lá, infelizmente, ele também é cruelmente explorado em todo o país, principalmente pela indústria do turismo. Triste, né? Mas é a pura verdade! No último post, eu falei sobre porque não andar em elefante na Tailândia. E espero, do fundo do meu coração, que eu tenha conseguido sensibilizar quem, por ventura, tinha interesse em fazer esse tipo de passeio!
Continue lendo ►

RêVivendo Fotografias: Sapatos às margens do Danúbio

Renata Campos | 24.4.17 | | | | Seja o 1º a comentar!!
Budapeste é uma cidade linda, cultural, vibrante, apaixonante! Mas que ao mesmo tempo tem um passado super sofrido! Foi palco de várias guerras, conflitos e revoluções. E toda essa história ficou marcada na cidade que tem vários atrativos históricos importantíssimos. 

Um dos mais simples, mas também mais impactantes, é o monumento "sapatos às margens do Danúbio" (shoes on the Danube bank). Como o nome já diz, o monumento se trata de vários sapatos (60 pares) de ferro espalhados à margem no rio Danúbio. Pra quem passa por ali sem saber do significado, não deve ver muita graça, nem muito sentido nisso! Mas quando você sabe a história, a coisa muda de figura! Eu fiquei verdadeiramente emocionada imaginando toda a angústia, a tristeza e a crueldade daquilo tudo.

Explico: esse monumento foi criado em homenagem aos judeus cruelmente assassinados durante a 2a Guerra Mundial. Entre 1944 e 1945, a Cruz de Ferro (Partido Húngaro que comungava com ideias nazistas de Hitler) executou centenas de judeus e também pessoas que se opunham às ideias do seu governo. Eles eram enfileirados na margem do rio Rio Danúbio, metralhadas e jogados no rio. Mas antes, eram obrigadas a retirar os sapatos.


O monumento foi criado em 2005 pelo escultor Gyula Pauyer e idealizado pelo cineasta Can Togay. São 60 pares de sapatos de ferro masculinos, femininos e infantis, todos de modelos da década de 40. Muita gente acaba passando batido por ele, tanto porque não sabe da história e do seu significado, como por ele não chamar muita atenção já que se encontra no chão, bem na beira do rio (exatamente no local onde os assassinatos aconteciam). 

Eu mesma, o encontrei super por acaso! Lógico que ele estava na minha listinha de coisas pra visitar na cidade, mas eu não sabia exatamente onde ele ficava e praticamente passei por cima dele sem ver. Eu estava caminhando em direção ao Parlamento Húngaro, que é o um dos prédios mais lindos que eu já conheci, e tava com um olho fixo no Parlamento e o outro na outra margem do Danúbio, admirando as construções do lado de Buda. E aí, de repente, tropecei num dos sapatos! Pior do que a dor de chutar um sapato de ferro, foi o "soco no estômago" que eu senti quando entendi onde eu estava. Fiquei ali um tempão, olhando e imaginando as cenas. Horrível! 😪

RÊVIVENDO FOTOGRAFIAS 
Toda segunda-feira, uma viagem é revivida aqui através de uma fotografia. 
Foto de hojeMonumento "Sapatos às margens do Danúbio" 

o que fazer em Budapeste, na Hungria
Parte do monumento "Sapatos às margens do Danúbio". Homenagem singela e emocionante.


Continue lendo ►

Por que NÃO andar em elefante na Tailândia?

Renata Campos | 18.4.17 | | | | | | | | | 6 Comentários
exploração de elefantes Asia


A Tailândia é um paraíso! Um lugar incrível, exótico, encantador! Isso ninguém pode negar! Maaass, também tem lá seus problemas, como todo e qualquer lugar! O país (e seus vizinhos também) tem um histórico horrível de exploração de elefantes! Até 1989, eles "trabalhavam" carregando troncos de árvores na indústria madeireira. Essa prática foi proibida, mas ainda existe outra que, se bobear é até mais cruel: a exploração dos elefantes no turismo!
Continue lendo ►

RêVivendo Fotografias: Robben Island

Renata Campos | 10.4.17 | | | | | | | Seja o 1º a comentar!!
Robben Island, como o próprio nome já diz, é uma ilha que funcionou como prisão durante anos, na África do Sul. Atualmente, ela é considerada Patrimônio Mundial da UNESCO e desde 1997 funciona basicamente como museu, sendo uma das atrações mais visitadas na Cidade do Cabo. 

Por isso mesmo, é bom comprar os tickets com antecedência, através desse site. Na alta temporada é meio complicado encontrar vaga de última hora. O ingresso custa 320 rands (o que dá mais ou menos 73 reais) e inclui a passagem de ida e volta de barco, a entrada na prisão e o passeio guiado pela ilha. A duração total do passeio, já incluindo o transporte de ida e volta é de 4 horas. Os barcos saem diariamente às 9h, 11h e 13h e na alta temporada também às 15h. O ponto de partida é o Nelson Mandela Gateway, que fica no famoso (e lindo) V&A Waterfront, ao lado Clock Tower
A viagem é bem tranquila e dura entre meia e 1 hora, dependendo da embarcação que você pegar. Quando eu fui o mar estava calmo e não cheguei a enjoar não, mas vi algumas pessoas que ficaram meio mareadas. Mas quando o mar está mais agitado, o barco deve balançar bastante. Quando o tempo está muito ruim, ele nem sai (mas se você já tiver comprado o ingresso e não puder remarcar, eles devolvem seu dinheiro). 

Assim que você desembarca na ilha, já dá de cara com grandes painéis fotográficos que retratam um pouco da história dos negros ali presos que incluíam vários personagens importantes do país, entre eles o ex-presidente Nelson Mandela, que ficou preso 18 anos na ilha. Além dele, vários outros líderes negros e mesmo pessoas "comuns" que eram contra o regime racista do Apartheid foram condenados a passar anos em uma das 4 prisões de Robben Island, eram os chamados presos políticos. Apesar deles serem a maioria, uma das prisões da ilha também era destinada a presos comuns, que cometeram assassinatos ou outros crimes.  Robben Island que era considerada uma prisão de segurança máxima! Difícil fugir de uma ilha, né? Mas ainda assim, muitos tentavam...

Já segue o blog no Instagram
Tá cheio de fotos da Tailândia lá! É só procurar pela hashtag  #ReVVnaAfricadoSul

Em seguida, todos as pessoas do barco são separadas em grupos menores para fazerem um tour pela ilha. Esse tour acontece dentro de um ônibus um tanto quanto velho, desconfortável e com pouca visão. Se puder escolher, sente do lado direito do ônibus, ou seja, à sua esquerda quando estiver entrando nele, a maioria das atrações mostradas estão à direita. Mas o tour não é todo feito dentro do ônibus não, não se preocupe. Ele faz umas 3 ou 4 paradas em locais diferentes. Nós visitamos, inclusive a prisão e a cela de Nelson Mandela.

Mas o que eu achei mais legal de tudo é que o tour é todo guiado por um ex prisioneiro político que viveu anos ali e sabe, melhor do que ninguém, o que se passava ali. Nesse link é possível saber um pouquinho da história de alguns dos ex prisioneiros políticos que trabalham lá atualmente. É fascinante (e também muito triste) ouvir todas as histórias que ele contava! A gente sai de lá ainda mais revoltada com o Apartheid!

Pra quem gosta de história esse é um passeio realmente interessante. Vale muito a pena conhecer melhor e ver de perto um pouco da incrível e cruel história recente da África do Sul. Antes de viajar, eu li a biografia do Mandela, Longa Caminhada até a Liberdade e super recomendo a todos! Se eu já o admirava antes, depois de conhecer toda sua história, eu virei fã de carteirinha! Que homem fantástico, viu? Não é a toa que ele é idolatrado por todos no país! 


RÊVIVENDO FOTOGRAFIAS 
Toda segunda-feira, uma viagem é revivida aqui através de uma fotografia. 
Foto de hojeRobben Island 

Robben Island Cape Town
Vista linda da Table Mountain na Cidade do Cabo, a partir da Robben Island
Continue lendo ►

Rêvivendo Fotografias: Serra do Espírito Santo - Jalapão

Renata Campos | 3.4.17 | | | | | | Seja o 1º a comentar!!
Pra quem ainda não sabe, estou organizando um grupo exclusivo pra se aventurar no Jalapão em outubro desse ano (2017). Bora lá, gente? Coloquei toooodas as informações nesse post aqui, dá uma olha e qualquer coisa é só mandar uma mensagem! #PartiuJalapão

Bom, e pra atiçar ainda mais a vontade de vocês, vou falar hoje aqui de um lugar super bacana que eu conheci quando fui ao Jalapão a 1a vez, lá em 2009: a Serra do Espírito Santo! Ela é um dos símbolos do Jalapão e pode ser vista e apreciada de vários lugares da estrada. Mas fazer a trilha pra subi-la é um passeio opcional. Aliás, todos são, né? haha. Mas o que eu quis dizer é que tem muita gente que prefere só admirá-la de longe, já que a trilha é bem puxadinha! Logo no início existe uma plaquinha avisando que a trilha "não é indicada para pessoas com baixa capacidade física e problemas de saúde". Ou seja... 

E a trilha nem é longa, são apenas 7 km (ida e volta) até o mirante dessa foto. O problema mesmo é que tem uma subida bem cansativa e que depois vira uma descida bem chata e até perigosa, já que tem muitas pedras soltas. Apesar de ter uma cordinha pra se segurar, todo o cuidado é pouco! Se a subida testa sua resistência física e cardíaca, a descida testa seu joelho! Mas fora isso, o resto da trilha é toda plana! Ufa! E o visual é lindo! Então recompensa todo o esforço!

Pra fazer essa trilha, nós acordamos às 4:30 da manhã! A ideia era assistir ao nascer do sol lá de cima. Mas a gente atrasou um pouquinho e pra sair e demoramos também mais do que o esperado na bendita subida! 😓 Vimos o sol nascer durante a trilha, mas mesmo assim o visual compensou! E o bom de ter ido tão cedo é que subimos com o tempo ainda fresco! Na volta, o sol e o calor dificultaram um pouco as coisas. Então, se você não quiser madrugar pra ver o sol nascer, deixe pra subir a serra no fim do dia, quando as temperaturas já estiverem mais amenas! Aí aproveita e assiste ao pôr do sol lá de cima também! Só não se esqueça de levar lanterna pra descer à noite, hein? 

Mas se você não curte muito trilhas desse tipo, não se preocupe! O nosso tour será bem mais tranquilo e relax, mas cheio de atrativos igualmente interessantes e lindos! Veja o roteiro com a programação completa aqui


RÊVIVENDO FOTOGRAFIAS 
Toda segunda-feira, uma viagem é revivida aqui através de uma fotografia. 
Foto de hojeSerra do Espírito Santo - Jalapão 


O que fazer no Jalapão
Visual lindo do alto do mirante da Serra do Espírito Santo. Vale ou não vale o esforço? 

Continue lendo ►

Partiu Jalapão! Programa de viagem com roteiro detalhado - Outubro/2017

Renata Campos | 30.3.17 | | | | | Seja o 1º a comentar!!
Partiu Jalapão


📢 Atenção! Atenção! 
Gente, tenho uma novidade suuuuper bacana pra contar pra vocês! E tem a ver com viagens, claaaaro! 

Bora fazer uma viagem juntos? É... eu e vocês, num grupo pequeno e super exclusivo! O que acham? Eu comentei nesse post aqui que eu fechei uma parceria com a agência Mundos e Rumos, né? E foi daí que surgiu a ideia de fazermos essa viagem! O destino escolhido foi o Jalapão! 😃
Continue lendo ►

Nova parceira do blog: Agência de Viagens Mundos e Rumos!

Renata Campos | 28.3.17 | | | | Seja o 1º a comentar!!
Parceria blog de viagem e agência de viagem


Quem acompanha o blog sabe que eu costumo planejar minhas viagens por conta própria. Tanto que esse é o lema do blog! Mas cada vez eu percebo que, definitivamente, não é todo mundo que tem esse perfil! Só quem já planejou uma viagem sabe o quão trabalhoso e cansativo é. Eu adoro!! Mas super entendo quem não goste ou não tenha tempo ou jeito pra isso. 

Se você não curte, não sabe como fazer, não tem tempo ou paciência e fica inseguro pra programar todos os detalhes da sua viagem, o melhor mesmo é deixar esse trabalho e essa responsabilidade a cargo de um profissional qualificado. Porque ninguém vai deixar de viajar por isso, né gente? Por favor!

Continue lendo ►

RêVivendo Fotografias: Lago de Bled

Renata Campos | 27.3.17 | | | | | Seja o 1º a comentar!!
Lembro que, desde a primeira vez que eu vi uma foto do Lago de Bled, na Eslovênia, eu fiquei louca para conhecê-lo. O lugar parecia surreal (e é)! Fiquei com a impressão que ele tinha saído diretamente de um conto de fadas! A cor verde da água, a pequena ilhota ao centro, a cadeia de montanhas ao redor e um castelo de mais de mil anos no topo de uma dessas montanhas! É ou não é um cenário de filme? 

Assim, quando eu estava programando uma viagem à Croácia, eu nem pensei 2 vezes e incluí também a vizinha Eslovênia no roteiro da viagem. O Lago de Bled não apenas dá nome à cidade de Bled, como é sua atração principal, claro! Mas também existem outros atrativos na cidadezinha que é uma graça. Eu fiquei hospedada na capital Ljubljana e fiz apenas um bate e volta para Bled. Mas se você tiver tempo vale, inclusive, se hospedar por lá e passar alguns dias curtindo a cidade e a região do entorno que tem muita coisa bacanas pra fazer, umas cachoeiras lindas e cada paisagem mais bonita que a outra. 


Como nós passamos apenas um dia por lá, tivemos que fazer escolhas do que conhecer e focamos apenas na região em torno do lago mesmo. Estacionamos o carro próximo ao lago e fomos caminhar para explorar o lugar! E que lugar lindo, gente Depois de muito caminhar, resolvemos pegar um barco para conhecer uma ilhota que fica bem no centro do lago. Fomos com um barquinho típico de madeira, chamado pletna, que é conduzido por um barqueiro que vai remando de pé. Haja força! Tudo isso para não usar motor e não poluir o lago. Legal, né? O barquinho leva cerca até 15 pessoas, custa 12 euros e só sai quando estiver com a lotação completa, ou seja, você pode ter que esperar bastante pra fazer esse passeio. Também é possível alugar um caiaque e ir remando por conta própria ou só ficar passeando ali pelo lago mesmo. Vi muita gente de SUP (Stand Up Paddle) também. 

A ilhota é bem pequena e você tem apenas meia hora para conhecê-la! Como o tempo é curto e eu queria curtir o lugar, fiquei só caminhando por ali mesmo. Subi os quase 100 degraus até o topo, onde se encontra uma pequena igreja e um museu. Mas preferi ficar apenas tirando fotos e contemplando a vista enquanto tomava um sorvete  do que pagar 9 euros para visitar a tal igrejinha. 

De volta à cidade, pegamos o carro e subimos até o Castelo de Bled de onde se tem uma vista maravilhosa do lago e de toda a cidade! O castelo tem mais de mil anos (pensa!!) e possui um museu e outras atrações, mas o legal mesmo é a arquitetura do lugar em si e a vista que se tem dele, além de um restaurante bem bacana que fica ao ar livre! A entrada no castelo custa 10 euros e ele funciona todos os dias de 8hs da manhã até às 18h no inverno, 20h na primavera e outono e 21h no verão! Vale muito a pena!

RÊVIVENDO FOTOGRAFIAS 
Toda segunda-feira, uma viagem é revivida aqui através de uma fotografia. 
Foto de hojeLago de Bled 

Bled Eslovênia
O belo lago de Bled e seu típico barquinho de madeira (Pletna), uma das melhores forma de conhecer o local.

Continue lendo ►