RêVivendo Viagens

RêVivendo Viagens

RêVivendo Fotografias: Battery Park NYC

Renata Campos | 12.6.17 | | | | | | Seja o 1º a comentar!!
Nova York é um dos meus lugares prediletos no mundo! 
Eu não costumo repetir lugares (tem tantos pra gente conhecer e tão pouco tempo e dinheiro pra isso) mas Nova York é uma exceção à essa "regra". Já fui várias vezes e ainda vou voltar outras tantas! 

O bom de visitar um lugar muitas vezes e que a gente acaba curtindo tudo de uma maneira diferente, sem aquela obrigação de ter de visitar todos os pontos turísticos. Dá pra revisitar, e curtir com calma, aqueles nossos lugares preferidos. Eu tenho vários lugares preferidos em Nova York, eu diria que quase a cidade inteira! Hahaha Já falei em um outro RêVivendo Fotografias sobre o Central Park, que eu não deixo de visitar toda vez que vou à Nova York. 




Outro lugar que eu adoooro é o Battery Park. Gente, que delícia de lugar! Cada vez que vou, descubro algo diferente. Ele não é tão gigantesco como o Central Park, aliás, é bem "magrinho", mas é comprido. Caminhar por ali, apreciando a vista linda do Hudson River é um programão e tanto. E também rola de alugar uma bike e pedalar por lá. Muita gente também vai pra fazer piquenique. E outros ficam sentados nos banquinhos estrategicamente posicionados "só" apreciando o vai e vem de pessoas e a vela vista, se for no fim do dia pra apreciar o pôr do sol, então... é um espetáculo à parte! 

Na minha última ida à Nova York (2016), eu conheci o há pouco inaugurado Le District, um mercado francês bem no estilão do italiano Eataly. Ele funciona no Brokfield Place, um shopping bacaninha, que tem vista pro Battery Park. Comi o melhor croissant e o melhor cookie da minha vida ali! Dá água na boa só de lembrar! Super recomendo uma passadinha por ali pra provar as delicinhas do lugar. E o bacana é que tem várias mesinha externas pra você ficar apreciando a vista do Battery Park. Ahh e ainda rola um wifi grátis ali. Te convenci agora? rs

Existem vários atrativos ao longo do Battery Park e super vale a pena caminhar pu pedalar por ele todo, do início ao fim! É muito lindo! E uma coisa super bacana é que, a cada estação do ano, o lugar se transforma completamente! No verão é tudo muito verde e vivo, na primavera tudo florido, no inverno a neve toma conta, e no outono todas as folhas ganham aquele alaranjado liiiindo! Ou seja, tem que visitá-lo várias vezes pra conhecê-lo por completo! 


RÊVIVENDO FOTOGRAFIAS 
Toda segunda-feira, uma viagem é revivida aqui através de uma fotografia. 
Foto de hojeBattery Park


Battery Park Nova York
Parte o lindo Battery Park em Nova York
(Reparem lááá no fundo, entre 2 árvores, a Estátua da Liberdade! Tem outros lugares do Parque, onde é possível vê-la de mais perto)

Continue lendo ►

Vale do Matutu - Aiuruoca

Renata Campos | 2.6.17 | | | | | | | 2 Comentários
Vale do Matutu Airuoca

O Vale do Matutu é um bairro rural da cidadezinha de Aiuruoca, situado a 20km (em estrada de terra) do centro da cidade. Faz parte da Área de Proteção Ambiental (APA) Serra da Mantiqueira e é uma região muito bonita e com muito verde. O Vale é um dos principais atrativos de Aiuruoca. Você pode tirar um, dois ou vários dias para conhecê-lo e até mesmo ficar hospedado lá.

Continue lendo ►

RêVivendo Fotografias: Barra Grande do Piauí

Renata Campos | 29.5.17 | | | | | | | Seja o 1º a comentar!!
Já ouviram falar de Barra Grande, no Piauí? Não confundam com Barra Grande na Bahia, hein? A Barra Grande, do Piauí, é um distrito praiano que faz parte da cidade de Cajueiro da Praia e fica na divisa com o Ceará. 

Talvez pela proximidade com Jeri (±180km), Barra Grande tem sido considerada a Jericoacoara de 15 anos atrás! Muitos turistas que procuram paz e sossego estão trocando Jeri por Barra Grande, assim como muitos donos de comércio também. O Fred, dono da pousada que eu me hospedei e recomendo, a Pousada do Fred, foi um dos que morou anos em Jeri e se mudou pra Barra Grande em busca daquele clima de tranquilidade e sossego da Jeri de "antigamente". Eu estive em Jericoacoara há quase 8 anos atrás e voltarei agora no mês que vêm (julho 2017). Portanto, em breve, eu falo pra vocês a respeito das mudanças. 


Bom, mas Barra Grande é uma vilazinha minúscula, com ruas de areia, onde o tempo corre devagar e você não precisa de carro pra nada! A não ser pra conhecer as cidades vizinhas de Luís Correia e Parnaíba (até dá pra fazer um bate e volta, mas eu recomendo que você fique mais tempo pra curtir melhor essas outras cidades do litoral piauiense) ou mesmo a cidade sede, Cajueiro da Mata, pra conhecer o maior cajueiro do mundo!! É isso mesmo o que você leu! O maior cajueiro do mundo comprovadamente fica em Cajueiro da Mata e não em Natal como você sempre pensou! Confira aqui

Além da galera da paz e sossego, Barra Grande e seus bons ventos também atraem kitesurfistas aos montes, tanto experientes quanto amadores. Inclusive, caso você queira se aventurar no kitesurf é possível fazer umas aulinhas por lá. Mas já adianto, não é nada fácil! Ao contrário do windsurf onde, depois de alguns minutos de aula você já consegue curtir, no kitesurf você vai precisar de muito mais tempo e dedicação. O que não dá pra negar é que os kitesurfs deixam o céu mais bonito e colorido e dão um toque todo especial nos pôres do sol na praia! 

No último RêVivendo Fotografias, eu falei que o pôr do sol de Jeri é super famoso e um verdadeiro espetáculo, né? Confirmo tudo o que eu disso, mas ó, o pôr do sol de Barra Grande não fica atrás do da sua "vizinha" mais ilustre não, viu? É tão maravilhoso quanto! 


RÊVIVENDO FOTOGRAFIAS 
Toda segunda-feira, uma viagem é revivida aqui através de uma fotografia. 
Foto de hoje: Barra Grande do Piauí

Barra Grande Piauí
O belo pôr do sol de Barra Grande fica ainda mais bonito com um kitesurf como moldura


Continue lendo ►

Dicas de hospedagem em Aiuruoca

Renata Campos | 24.5.17 | | | | | Seja o 1º a comentar!!
Onde ficar em Aiuruoca


Aiuruoca é uma cidadezinha mineira localizada no sul do Estado que atrai turistas à procura de suas belezas naturais. Por ser uma cidade pequena as opções de hospedagem não são muitas e, de uma maneira geral, são simples. Mas quem vai à Aiuruoca, definitivamente, não está à procura de luxo. 

Apesar da cidade ser pequena, as hospedagens são bem espalhadas e, em sua grande maioria, não se encontra na cidade, mas sim na sua área rural, onde estão os atrativos. Ficar hospedado na cidade implica ficar afastado das principais cachoeiras e trilhas. Mas ao mesmo tempo, você ficará mais central e as distâncias a serem percorridas são menores. Já se você optar em ficar hospedado próximo a algum atrativo, saiba que você ficará afastado dos demais. E aí é que começa o problema, como escolher? 

Continue lendo ►

RêVivendo Fotografias: Duna do Pôr do Sol de Jeri

Renata Campos | 22.5.17 | | | | | | | | Seja o 1º a comentar!!
Acho que não é segredo pra ninguém que acompanha o blog que eu adoro uma praia (sou mineira, né? rs). Preciso. Necessito! E, pra mim, quanto menor for o lugar, melhor! Não curto muito praias urbanas, até vou, afinal de contas, praia é praia! rs. Mas eu gosto mesmo é de uma vila pequena ou uma ilha, se não tiver carro então, melhor ainda! 

O Brasil tem muitas praias nesse estilo que eu amo! E eu já conheci a maioria delas. Mas, claro, sempre faltam algumas. Afinal de contas, essa é a graça, não é mesmo? Estar sempre motivado pra conhecer novos lugares. E também a reviver e redescobrir outros, por quê não? Estou agora programando uma viagem para o litoral do Rio Grande do Norte (que eu ainda não conheço nada) e do Ceará (que eu já fui 2 vezes). Lógico que vou pra Natal e Fortaleza, até mesmo porque eu vou chegar e ir embora por essas cidades, mas o foco da viagem é todo em cidades/vilas menorzinhas. 

Estou doida pra, finalmente, conhecer o litoral do Rio Grande do Norte, único estado do Nordeste que eu ainda não conheço, acreditam? Mas também não vejo a hora de reviver o Ceará, especialmente Jericoacoara! Gostei tanto de lá quando eu fui que estou super ansiosa pra voltar! Até mesmo porque, quase 8 anos depois, eu imagino que esteja tudo bem diferente! Veremos... 


Não vejo a hora de "bater cartão" todos os dias na Duna do Pôr do Sol de Jeri pra apreciar esse espetáculo da natureza! Eu sou louca por pores do sol e não perco por nada! Portanto, já estou começando a contagem regressiva pra RêViver Jeri! Falta pouco mais de um mês! Não vejo a hora! 
Ahh e dicas são sempre bem vindas, viu gente?! 😉


RÊVIVENDO FOTOGRAFIAS 
Toda segunda-feira, uma viagem é revivida aqui através de uma fotografia. 
Foto de hojeDuna do Pôr do Sol de Jeri


o que fazer em Jeri
Na contagem regressiva pra assistir a muitos pores do sol lindos na Duna do pôr do sol em Jeri! 


Continue lendo ►

Aiuruoca - dicas do que fazer, como chegar e onde ficar

Renata Campos | 17.5.17 | | | | | | | | Seja o 1º a comentar!!
Dicas de aiuruoca


Aiuruoca é uma cidadezinha minúscula no sul de Minas Gerais. Localizada em meio à Serra da Mantiqueira, atrai turistas em busca de tranquilidade, clima de montanha, cachoeiras, trekking, escalada e paisagens maravilhosas e bucólicas. 

Continue lendo ►

RêVivendo Fotografias: Campo de Concentração de Sachsenhausen

Renata Campos | 15.5.17 | | | | | | | | 4 Comentários
Eu sempre fui louca com a história das Guerras Mundiais (principalmente a 2a Guerra) e da Guerra Fria. Eu lembro que foi um professor meu, quando eu estava na antiga 8a série (9° ano agora, né?) que me despertou essa paixão toda pela história. Foi então que eu comecei a ler vaaaaaaaarios livros sobre o assunto, desde os mais clássicos, como "O Diário de Anne Frank" e "A Lista de Schindler", até outros não tão populares assim e que já nem me lembro mais. Muitas vezes eu precisava fazer uma pausa de tanto que eu chorava em cima dos livros. Ficava triste, revoltada, sem acreditar, sem entender...

Por essas e outras, eu sempre tive vontade de conhecer Berlim, além de outras cidades afins... em termos de guerra. E aí, quando eu comprei passagem pra Alemanha, toda aquela minha compulsão pela história, voltou! Comprei mais um monte de livros, assisti vários filmes e documentários e aguardei ansiosa o momento do embarque pra conhecer, de perto, os cenários de tantas histórias que eu já tinha lido. 
E aí, por já ter lido tantos livros e vi filmes sobre o assunto, eu achei que iria tirar tudo de letra. Mas não. Me senti muito incomodada em todos os vários museus que visitei em Berlim, coração apertado, estômago embrulhado... Se deparar com tantas histórias tristes e conhecer outras tantas que você não fazia ideia, foi pesado, angustiante, desgastante!

Mas o auge, pra mim, foi a visita ao Campo de Concentração de Sachsenhausen, que fica nos arredores de Berlim. Foi horrível! Eu viajei no verão e peguei alguns dias extremamente quentes por lá. Tão quente a ponto de cancelarem as visitas ao Parlamento Alemão por 2 dias (a cúpula dele é toda de vidro e vira uma estufa natural. Nos disseram que a sensação térmica lá dentro era de 68°C! 😓). Bom, tô falando tudo isso só pra vocês terem a dimensão do calor que estava fazendo no dia que eu fui ao campo de concentração. 

Entre tantos sofrimentos possíveis pelos quais os prisioneiros passaram nesses lugares, eu nunca tinha atinado no lance do calor. Sempre pensei apenas no frio congelante, fome, torturas, etc e tal. Mas visitar aquele lugar debaixo de um sol escaldante e de um calor infernal, foi uma das piores experiências que eu já tive! Eu adoro calor, mas não suporto temperaturas acima de 30°C. Passo mal de verdade! E esse dia fazia 36°C!!! Imagina? 

Fiquei andando debaixo de sol, entrando em lugares abafados e sufocantes e ouvindo histórias angustiantes no áudio guia que eu tinha alugado. Comecei a ficar enjoada e com dor de cabeça. Parava toda hora que achava uma sombra pra tomar um ar. Mas me sentia super culpada de estar fraquejando, sendo que os prisioneiros suportavam coisas infinitamente piores. Afinal de contas, eu estava ali a apenas algumas horas, estava forte, saudável, bem alimentada, com uma garrafa de água na mão (que juro, me sentia culpada de tomar). Imagina como era a vida daquelas pessoas tendo que aturar aquele mesmo calor (e um frio intenso também), sem comida, sem água, sem força, machucados, doentes e vivendo em condições sub-humanas?. 

A energia daquele lugar é horrível, pesada, sufocante, angustiante. Fiquei tão atormentada com tudo, que fui embora sem conseguir visitar tudo. Eu já não tinha condições físicas nem emocionais pra continuar! Mas ao mesmo tempo me senti muito culpada por estar sendo tão fraca. Fui embora chorando no ônibus. Depois fiquei andando a esmo em Berlim sem achar graça em mais nada. Meu dia acabou! 

Eu tinha programado visitar também o Dachau, um outro campo de concentração que fica próximo a Munique. Mas desisti. Fiquei com medo de sentir tudo aquilo de novo. Guardei forças pra encarar Auschwitz, na Polônia, onde iria no final da viagem. Auschwitz é o maior e mais famoso campo de concentração da época do holocausto e eu era "fascinada" por aquele lugar. Achei fosse ter um troço lá! Mas não! Foi menos traumático do que Sachsenhausen. Acho que eu já tinha passado pelo choque inicial, então achei menos impactante. Não que tenha sido fácil.! Foi triste, angustiante, emocionante e muito pesado! 

Enfim, quando for visitar qualquer campo de concentração, esteja preparado emocionalmente pra isso... se é que é possível. Para saber mais a respeito, horário de funcionamento, preço, como chegar e etc, acesse o site oficial. Ahh, e detalhe, os alemães não gostam de usar a palavra "campo de concentração". Ai invés disso, vocês verão sempre referências à "Memorial"!


RÊVIVENDO FOTOGRAFIAS 
Toda segunda-feira, uma viagem é revivida aqui através de uma fotografia. 
Foto de hojeCampo de Concentração de Sachsenhausen


Entrada do Campo de Concentração/Memorial Sachsenhausen.
Reparem na frase escrita no portão "Arbeit Macht Frei" que significa: O Trabalho Liberta.
Mais contraditório impossível! 😪

Continue lendo ►

RêVivendo Fotografias: Castelo Neuschwanstein

Renata Campos | 8.5.17 | | | | | | | Seja o 1º a comentar!!
Füssen é uma cidadezinha alemã fofa, localizada no final da "Rota Romântica", próxima a Munique. A cidade, por si só, já valeria a visita pois é uma graça, fica ao pés dos Alpes e é cercada por lagos. Mas o grande atrativo do lugar são seus castelos, em especial o famoso Schloss Neuschwanstein, um dos principais cartões postais da Alemanha.


Pra quem não sabe, Walt Disney se inspirou no Neuschwanstein pra criar o Castelo da Cinderela. E ele realmente é lindo e foi construído num lugar maravilhoso. Deixando tudo meio mágico! Mas tenho que confessar uma coisa: eu não visitei o castelo por dentro! Super me dei por satisfeita só de apreciá-lo por fora mesmo! Mas, assim, eu até tentei conhecê-lo por dentro, mas confesso que não me esforcei muito, então não rolou! Eu já tinha lido que o interior dele não tinha nada demais então não me interessei tanto. 

Mas caso você faça questão, sugiro que reserve seu ticket antecipadamente através desse site. Eu não fiz isso e acabei não conseguindo entrar! Mas eu sabia do risco que eu estava correndo. Quando você faz a reserva, você escolhe também o horário que quer fazer a visita e precisa estar lá 1 hora antes da visita para retirar o ingresso. Mas pense direitinho em todos os detalhes. Eu, por exemplo, estava em Munique e fiz apenas um bate e volta. Então, teria que calcular o tempo que eu gastaria pra chegar lá, possíveis atrasos e tal. Como eu não fazia tanta questão, não quis arriscar e correr o risco de perder o ingresso ou de ficar muito tempo "à toa" na cidade. Arrisquei comprar o ingresso lá na hora mesmo, mas desisti. 1° porque a fila era gigantesca e 2° porque só tinha horário disponível pra parte da tarde. E olha que eu cheguei cedo lá, hein? Enfim... não era pra ser mesmo. O ingresso custa 13 euros apenas pra visitar o ou então 25 euros para visitar também o Hohenschwangau, outro castelo que fica bem próximo e que eu visitei também só por fora.

Caso você não esteja hospedado em Füssen e vá fazer um bate e volta a partir de Munique, como eu fiz, reserve um dia inteiro pra isso. De Munique até Füssen são 2 horas de trem. Chegando lá, você ainda precisará pegar um ônibus (n° 73 ou 78) para Hohenschwangau que vai levar mais uns 10/15 minutos (veja mais detalhes aqui). E aí, para chegar ao Castelo, você pode subir caminhando (40 a 50 minutos), de ônibus (10 a 15 minutos, sem contar o tempo de espera pelo ônibus que pode passar de uma hora) ou de carruagem. Eu subi de ônibus, parei em Marienbrücke, uma ponte de onde se tem a melhor vista do castelo, que é essa aí da foto. De lá eu fui pro Castelo à pé e também desci a pé até a cidadezinha (pra baixo todo santo ajuda hehe). 

Veja todos os posts sobre a Alemanha: www.revivendoviagens.com/Alemanha


RÊVIVENDO FOTOGRAFIAS 
Toda segunda-feira, uma viagem é revivida aqui através de uma fotografia. 
Foto de hojeCastelo Neuschwanstein


Fussen Alemanha
O belo Castelo Neuschwanstein visto da ponte Marienbrücke. Lindo Lindo! 

Continue lendo ►