RêVivendo Viagens

RêVivendo Viagens

Como obter o CIVP: Certificado Internacional de Vacinação contra Febre Amarela

Renata Campos | 22.3.17 | | | | | | Seja o 1º a comentar!!
Certificado internacional de vacinação contra febre amarela


Muitos países, apesar de não exigirem visto, exigem outros documentos essenciais para entrada de viajantes. Um dos mais comuns é o CIVP, certificado internacional que comprova que você foi vacinado contra Febre Amarela ou outras doenças! 

Nesse post eu explico tudo sobre o certificado internacional de vacina, o que ele é, como obtê-lo, o que fazer caso você o perca, quais os países o exigem e muito mais! 

Continue lendo ►

RêVivendo Fotografias: Rio Celeste

Renata Campos | 20.3.17 | | | | | | | | | Seja o 1º a comentar!!
Quem aqui já ouvir falar no Rio Celeste? Aposto que pouquíssimas pessoas! O que é uma pena! Esse é um dos lugares mas incríveis que já conheci! De fazer cair o queixo, sabe? 

O Rio Celeste fica no Parque Nacional Vulcão Tenório, na Costa Rica. A forma mais fácil de se chegar lá é a partir da cidade de La Fortuna, que fica a 1:30 do Parque. La Fortuna é uma uma cidadezinha fofa que fica aos pés do vulcão Arenal e no norte do país, a cerca de 4 ou 5 horas da capital San Jose. A cidade é cheia de atrativos naturais, várias trilhas, visita ao vulcão, termas, tirolesas e muito mais!


Quando eu estava programando minha viagem pra Costa Rica, eu vi uma foto da cachoeira do Rio Celeste e fiquei louca pra conhecê-la!  O nome Rio Celeste dá a impressão que o local é "apenas" um rio de águas azuis, né? Mas não! Existe também uma cachoeira enorme e lindíssima lá que, obviamente, é a atração principal do lugar! 

Bom, mas o nome do lugar já diz tudo, né? Rio Celeste! (Na verdade, acho que tá bem mais um azul turquesa do que celeste, viu?). Vocês não fazem ideia cor da água desse lugar! É de um azul inacreditável! E olha que o dia que fui o tempo estava nublado. Imagina esse lugar com sol? Eu viajei em julho, que é época de chuva na Costa Rica. Não cheguei a pegar chuva nenhum dia, mas também não peguei céu azul! 

A trilha para até a cachoeira dura em torno de 4 ou 5 horas ida e volta. Existem vários caminhos diferentes para se chegar na cachoeira e nós fizemos um caminho na ida e outro na volta, assim puder apreciar paisagens diferentes. A trilha é de nível moderado, passa em meio à vegetação fechada e tem várias subidas e descidas e muitos trechos de lama. A primeira parte da trilha é feita apenas dentro da mata, mas depois a maior parte do percurso nós passando por vários trechos dos rio Celeste e também por algumas lagoas. 

A primeira visão da cachoeira do Rio Celeste é feita a partir de um mirante (foto abaixo) e é tão bonito, mas tão bonito que durante todo o trajeto até a parte de baixo da cachoeira eu fiquei imaginando se de perto ela seria tão bonita assim! E era! Inacreditável!! Fiquei um tempão só olhando sem acreditar e depois, claro, fui aproveitar aquela cachoeira incrível! Quando chegamos tinha um grupo saindo de lá e tivemos a cachoeira só pra nós! Estávamos num grupo de 4 pessoas, além do guia! Uma delícia! 

Como eu fui em época de chuva (mas como eu disse, não peguei chuva), a queda da cachoeira estava super forte e tinha tanta água que formava até ondas no poço. Eu tentei, em vão, nadar até a queda mas a correnteza era muito forte! Outra vantagem da época chuvosa é que a vegetação estava verdinha. E aquele verde contrastado com o azul da água deixava a paisagem ainda mais bonita! 

OBS: Para viajar pra Costa Rica é obrigatório que você apresente o Cartão Internacional de Vacina contra Febre Amarela. Vi pessoas no aeroporto que foram impedidas de embarcar porque não tinha o cartão! Então, por favor, fiquem atentos e não viajem sem esse documento! Pra saber mais a respeito e também como obtê-lo, leia o post: Certificado Internacional de Vacinação contra Febre Amarela.

RÊVIVENDO FOTOGRAFIAS 
Toda segunda-feira, uma viagem é revivida aqui através de uma fotografia. 
Foto de hojeRio Celeste 


Rio Celeste Costa Rica
Cachoeira do Rio Celeste vista do mirante!
Quase inacreditável essa cor da água! 

Continue lendo ►

RêVivendo Fotografias: Phi Phi Viewpoint

Renata Campos | 13.3.17 | | | | | | | Seja o 1º a comentar!!
Se tem uma coisa que eu curto demais é ver os lugares de cima! Adoro mirantes, adoro vistas panorâmicas! Se não precisar de esforço nenhum pra chegar lá, melhor ainda! Haha Pena que nem sempre é assim, né? Mas ok! Se a vista valer a pena mesmo, eu encaro a subida super de boa! Inclusive, já escrevi sobre vários mirantes aqui no blog, alguns de fácil acesso e outros nem tanto. Mas sempre com vistas lindas! 

Hoje vou falar de um dos mirantes que conheci nessa minha última viagem. Obviamente que um país tão lindo como a Tailândia não poderia deixar de ter um mirante à sua altura, não é mesmo? Aliás um não, vários! Falei umas semanas atrás, aqui mesmo no RêVivendo Fotografias, sobre o Sky Bar de Bangkok, um lugar lindo, de fácil acesso (é só subir um elevador rs) e com uma vista maravilhosa de Bangkok! 

E hoje vou falar um outro mirante, dessa vez com um acesso mais complicadinho e que demanda (bem) mais esforço, mas que vale muito a pena: o Viewpoint de Phi Phi. A vista lá de cima compensa todas as suas muitas gotas de suor! Como a ilha é pequena, é possível ter uma visão dela praticamente inteira lá de cima! Bom, pelo menos das praias principais e da vilinha.  

Para chegar lá procure pelas placas de "Viewpoint - Shortcut" (ou algo do gênero). É que existem 2 caminhos e o outro é bem mais longo e menos interessante. Esse "short cut" começa por uma looooonga escadaria... pare pra respirar e descansar quantas vezes quiser! A escadaria já é cansativa e aliada ao calooor fica tudo muito pior! Ahh e não deixe de levar água! Você vai precisar, e muito, durante toda a subida. Ao final da escadaria, você terá que pagar 30 baht (menos de 3 reais) para ter acesso ao local. Um turista desavisado pode imaginar que chegou até o final, mas não! Sinto dizer que você não está tipo na metade do caminho, ou nem isso. Eu sei, você pagou o ingresso ali e tem um placa enorme pra tirar foto escrito "I love Phi Phi", não é esse o lugar? Não! Esse é apenas o Viewpoint 1 e são 3! O 2° fica ali bem próximo e tem um vista bem parecida também. Agora, o melhor de todos mesmo, aquele com a vista mais bonita e super tradicional, é o 3° viewpoint. Bora subir mais então? 

Já segue o blog no Instagram
Tá cheio de fotos da Tailândia lá! É só procurar pela hashtag  #RêVivendoaTailândia

Descanse um pouco, tire várias fotos, beba água, recupere e continue porque ainda tem muita subida pela frente. Dessa vez, a subida não e feita por escadas, mas por uma trilha. Depois de mais alguns minutos e muuuuuitas gotas de suor, pronto! Você finalmente chegou aoViewpoint. Procure um lugar pra sentar e apreciar a vista linda de Phi Phi! Lá em cima tem uma lanchonete que vende água, bebidas e uns snacks pra você recuperar a energia e matar a sede! 

Eu fui no final do dia e fiquei até o anoitecer! E sugiro que você faça o mesmo! Além do tempo ser um pouco mais fresco (mas vai ser quente de todo jeito, não se iluda rs), você ainda pode ver o pôr do sol e a noite cair! Quando eu fui, o dia estava meio nublado e não rolou pôr do sol, mas ainda assim foi bem bacana ver a paisagem se transformando e as luzes se acendendo à medida que a noite ia chegando. Só não se esqueça de levar repelente! Eu quase não tive problemas com mosquitos na viagem, mas lá em cima eles me atacaram! hehe 

Bom, e pra descer todo santo ajuda! A descida é bem mas rápida, claro! Não lembro o tempo que gastamos, nem pra subir, nem pra descer! Mas dizem que a média de tempo gasto na subida é de mais ou menos meia hora. Isso vai depender do seu ritmo, do seu preparo físico, de quantas paradas e quantas fotos tirar no percurso! E não se preocupe, o caminho é iluminado, caso você desça à noite, como eu, não terá problemas!


RÊVIVENDO FOTOGRAFIAS 
Toda segunda-feira, uma viagem é revivida aqui através de uma fotografia. 
Foto de hojePhi Phi Viewpoint


Phi Phi Viewpoint
Vista do alto do 3° Viewpoint. Na foto dá pra ver a vila de Phi Phi ao centro, a praia de Tonsai (e o píer) do lado esquerdo e a praia de Ao Lo Dalam, à direita. 

Continue lendo ►

Como chegar em Phi Phi

Renata Campos | 9.3.17 | | | | | | | | 2 Comentários
dicas da tailandia


O título desse post bem que poderia ser: Como chegar no Paraíso!
Porque Phi Phi é o que afinal? Um paraíso, oras!

É bem verdade que a Tailândia tem outras tantas praias paradisíacas. Infelizmente, não consegui conhecer tudo. Longe disso, aliás. Além de Phi Phi conheci apenas Railay Beach, outra praia ali próxima e também paradisíaca. Mas já estou louca pra voltar e explorar melhor a região.

Como todo paraíso que se preze chegar lá não é tarefa das mais fáceis. Não que seja difícil, até porque tem várias outras praias tailandesas nas quais o acesso é bem mais complicado. Mas é meio chatinho e demorado, já que envolve vários meios de transporte: avião + carro/bus + barco. Ou você achou que era só pegar um avião e pronto? Nananinanão! Pra chegar ao paraíso é preciso um pouquinho mais de esforço.

Continue lendo ►

RêVivendo Fotografias: Gardens by the Bay

Renata Campos | 6.3.17 | | | | | Seja o 1º a comentar!!
O Gardens by the Bay é uma das principais atrações turísticas de Cingapura (ou Singapura, como queiram). Mas é uma atração recebente também, foi inaugurada em 2012... então se você viajou pra Cingapura antes disso, já tá na hora de voltar pra conhecer essa maravilha! rs

Como o nome diz, esse é o "jardim da baía" que, no caso é a Marina Bay, uma área linda cheia de restaurantes, lojas e bares e com uma vista linda da baía e dos prédios do entorno. É ali também que se encontra o hotel mais famoso do país e um dos mais famosos do mundo! O Marina Bay Sands que tem a piscina mais alta do mundo! Um luxo só!   

O melhor de tudo é que o Gardens by the Bay é uma atração gratuita. Ele  foi projetado não apenas para turistas mas também, e principalmente, pra população local. Não é preciso pagar nada para andar pela área comum que nem é muito grande, pra falar a verdade. Assim que entramos vimos que tinha aqueles carrinhos pra levar os turistas e compramos o ticket pois imaginamos que seria algo tipo o Inhotim, com distâncias enormes e onde o carrinho ajuda bastante pra percorrer os lugares mais distantes e ainda poupa tempo. Mas que nada! Quase morri de ódio (e de vergonha também) quando o carrinho fez sua primeira (e única pra mim) parada! Portanto, a não ser que você tenha alguma dificuldade séria de locomoção, não pense no carrinho!

Já segue o blog no Instagram
Tá cheio de fotos de Cingapura lá! É só procurar pela hashtag  #RêVivendoCingapura

Bom, a área comum do Gardens by the Bay onde ficam os jardins, os restaurantes e as famosas Supertrees Grove é gratuita. Mas se você quiser entrar nas atrações que eles chamam de "conservatórios", como a Flower Dome e a Cloud Florest. terá que pagar 28 dólares de Cingapura (± 62 reais). Eu paguei e achei bacana, mas nada de extraordinário! Sou bióloga, né? Então gosto desse tipo de coisa. Vai do seu gosto, mas não é imperdível. Agora, algo que acho que vale a pena pagar (SGD 8 = 18 reais) é o OCBC Skyway uma passarela pela qual você caminha entre as SuperTrees, a parte mais bacana de todo o complexo. A vista da cidade lá de cima é linda!

Bom, mas explicando melhor, as SuperTrees Grove são árvores enormes artificiais (de 25 a 50 metros de altura) que são, digamos, "decoradas" com plantas de verdade. Super legal! E elas ainda são sustentáveis, captam água de chuva para uso da água posteriormente e também possuem células fotovoltaicas  capazes de armazenar energia que é utilizada para sua iluminação à noite. 

Esse é, portanto, um lugar que você deve visitar durante o dia e também à noite! Todos os dias às 19:45 e 20:45 acontece um show de luzes e som bem legal nas Supertrees. Vale super a pena se programar pra assistir. 

O Gardens by the Bay está aberto diariamente das 5h da manhã às 2h da madrugada. Pra chegar lá é só pegar o metrô (MRT) e descer na estação Bayfront (saída B). Para mais informações acesse: www.gardensbythebay.com.sg


RÊVIVENDO FOTOGRAFIAS 
Toda segunda-feira, uma viagem é revivida aqui através de uma fotografia. 
Foto de hojeGardens by the bay


O que fazer em cingapura
As lindas Supertree Grove do Garden by the Bay


Continue lendo ►

Como se locomover na Tailândia

Renata Campos | 23.2.17 | | | | | | | | | | | Seja o 1º a comentar!!
Dicas da Tailândia


Esse post é pra você que está programando uma viagem à Tailândia e não sabe exatamente como se locomover por lá. Não sei se vocês também têm essa impressão (eu tinha) de que é tudo muito difícil, complicado e meio caótico por lá. Pois saiba que você está completamente enganado! É tudo super simples e fácil! Não tem segredo algum!

Continue lendo ►

RêVivendo Fotografias: Nascer do sol em Angkor Wat, Camboja

Renata Campos | 20.2.17 | | | | | | | Seja o 1º a comentar!!
Se tem uma coisa pela qual eu sou apaixonada é pelo pôr do sol (tanto que tenho vários posts aqui blog sobre o pôr do sol). Também adoro o nascer do sol! (mas tenho bem nos posts sobre o nascer do sol, apesar de já ter assistido a muitos). Se bobear até dou mais valor pro nascer do sol por causa da dificuldade de presenciar esse momento. Porque, ou você tá virado da noite anterior ou teve que acordar super cedo especialmente pra isso. Seja como for, demanda um esforço, né? 

Assistir ao nascer do sol é um dos programas mais populares pra visita os templos de Angkor, em Siem Reap, no Camboja. Eu nem pensei 2x e já incluí o programa no meu roteiro. Como eu já contei aqui no post sobre o Roteiro de Viagem ao Sudeste Asiático, eu fiquei 3 dias em Siem Reap. Nos 2 primeiros dias eu visitei os templos em horários, digamos, mais normais. Apenas no meu terceiro dia por lá é que tive coragem de madrugar (era o último também, né? rs). 

Saímos do hotel pouco depois das 5h da manhã. Quando chegamos em Angkor Wat ainda estava escuro, mas o lugar já estava lo-ta-do! Custamos a achar um lugar "bacana" pra esperar o sol aparecer, coisa que só aconteceu lá pelas 7hs da manhã. Então, se você quiser chegar um pouquinho mais tarde, até rola. Só que o problema é, quanto mais tarde você chegar, pior vai ser o lugar que conseguirá. E também, o bacana é você ir vendo todo o processo, o céu clareando, as cores se modificando até o momento que o sol resolve aparecer. E, pra te falar a verdade, eu achei a paisagem e as cores mais bonitas sem o sol. Então, assim, se quiser ver tudo isso, prepare-se pra ficar, pelo menos 1 hora de pé no meio da multidão. Ou então, chegue ainda mais cedo (antes das 5h da manhã) pra conseguir um lugar melhor. Quem sabe até você consegue um lugar pra se sentar? 


Já segue o blog no Instagram
Tá cheio de fotos do Camboja lá! É só procurar pela hashtag #RêVivendooCamboja


E agora vem a pergunta crucial... Vale a pena madrugar pra ver o nascer do sol em Angkor Wat?
A minha resposta mais sincera é: Depende! rs

Eu achei tudo lindo! Mas tenho que admitir que bem cansativo também! Nossos 2 dias anteriores em Siem Reap tinham sido super cansativos e as noites também... o que é aquela Pub Street com chopps a 50 cents de dólar? haha. Então ter dormido pouquíssimo e ainda ficar 1 hora e meia de pé lutando por um lugar ao sol (literalmente) não foi lá a coisa mais legal do mundo. Eu ainda consegui um lugarzinho melhor do que minha amiga que ficou atrás de um bando de chineses sem educação e que tiravam 500 fotos por segundo. Como ela é baixinha, eles atrapalhavam muito a visão dela e ela ficou realmente irritada com isso. Nessas horas é que é bom ser alta, né não? hehe Já a outra amiga estava virada da balada (não falei que a noite em Siem Reap é boa? rs) e logo nos primeiros minutos, ela desistiu de lutar contra a multidão e foi sentar num canto mais afastado. 

Então, assim, a experiência delas foi bem pior que a minha. Se você perguntar a elas se valeu a pena, acho que dirão que não! Mas pra mim, valeu o sacrifício (porque, sim, foi um sacrifício). Até porque se eu não tivesse ido, acho que teria me arrependido. Ia ficar pra sempre pensando como teria sido e tal. E vamos combinar, o lugar é lindo, a paisagem é linda, as fotos ficaram lindas! Isso não há como negar!

Então, assim, eu sugiro que você vá pra ver tudo com seus próprios olhos, ao vivo e a cores... e que cores! Mas vá preparado pra ficar horas de pé, pra enfrentar a multidão e também o calor. Ou você tá achando que só porque estava cedo não fazia calor? Que nada! Eu tô falando tudo isso não é pra desestimular não, pelo contrário! É que quando a gente olha uma foto de um lugar lindo como esse, não imagina os bastidores daquilo! Então, eu tô contando tudo isso é pra já prepará-los pro que vão encontrar. Assim, sem ilusões, nem romantismos, e já sabendo o que vai enfrentar, a experiência tem toda a chance de ser ótima, Afinal, tudo depende da expectativa que a gente cria a respeito de alguma coisa, não é mesmo? 



RÊVIVENDO FOTOGRAFIAS 
Toda segunda-feira, uma viagem é revivida aqui através de uma fotografia. 
Foto de hojeNascer do Sol em Angkor Wat


o que fazer em Siem Reap
As cores incríveis do nascer do sol em Angkor Wat

Continue lendo ►

15 coisas que você precisa saber ANTES de viajar para a Tailândia!

Renata Campos | 16.2.17 | | | | | | | | 4 Comentários
Dicas Tailândia


A Tailândia é um país incrível que, definitivamente, caiu nas graças dos brasileiros! Apesar da distância, da dificuldade de se chegar e do preço (geralmente alto) das passagens aéreas, o número de turistas brazucas no país vem aumentando absurdamente nos últimos anos! Pudera, a Tailândia é incrível! Um país lindo, com pessoas acolhedoras, paisagens belíssimas, praias paradisíacas, cultura ímpar e, o melhor, super barato! Não é a toa que a Tailândia tem se tornado o destino queridinho do momento!

Continue lendo ►