2

Filipinas: Roteiro de Viagem

Renata Campos | 15.2.18 |
Roteiro Filipinas


Pensa num lugar paradisíaco! Com praias, lagoas, lagos e cachoeiras de águas inacreditavelmente azuis ou verdes! Tudo isso cercado por rochas, montanhas, coqueiros e outras árvores diversas! Cada paisagem mais linda que a outra! Assim são as Filipinas! Um verdadeiro pedaço do paraíso na Terra! 

Eu já sonhava com as Filipinas há tempos. Toda vez que eu via uma foto no Instagram, eu suspirava e pensava quando seria a minha vez de postar fotos daqueles lugares lindos que eu tanto queria conhecer! (Aproveitando a deixa... clica aqui esse link #RêVivendoFilipinas pra ver todas as fotos que publiquei desse país incrivelmente lindo!) 💗

E eis que no início do ano passado, quando eu tinha acabado de chegar da minha 1ª viagem à Ásia (veja o roteiro aqui), ianda completamente apaixonada pelo continente e já doida pra voltar pra lá, surge uma passagem com um preço lindo! 😍 R$2.700,00 indo por Bangkok (onde paramos por 2 dias pra matar saudades e descansar do voo looooongo), e voltando por Manila, pela Ethiopian Airlines.

Sem muita dificuldade, eu convenci 2 amigas, a Carina e a Carol, que também tinham acabado de chegar da Ásia, a voltarem comigo pra lá! Compramos nossa passagem ainda em março pra viajar só em dezembro. E aí, em dezembro, uma outra amiga, a Tati, também resolveu ir com a gente de última hora. Mas como nossa viagem já estava toda fechada, em alguns lugares ela não conseguiu ficar com a gente no mesmo hotel. Bom que vocês vão ganhar umas dicas extras de hospedagem testadas e aprovadas (ou não), né? rs

Roteiro FIlipinas
Taí, minhas companheiras nessa viagem.
Da esquerda pra direita, a Tati (que resolveu ir em cima da hora), Eu, Carina e Carol. 

A propósito, uma das nossas maiores dificuldades na hora de escolher um hotel, era achar quartos triplos que tivessem 3 camas de solteiro ou, pelo menos, uma cama de casal que coubessem 2 pessoas. Porque, olha, a grande maioria das camas de casal são bem menores do que o normal. Pelo menos o nosso normal, porque eles são muito pequenos, né? E eu sou muito grande! Tenho 1,80m gente! Não é qualquer lugar que me cabe! hehe Se fossemos 4 pessoas desde o início talvez nossas escolhas de hospedagem teriam sido diferentes. Muitos hotéis que gostamos não tinham quartos triplos ou quando tinham era no esquema de uma cama minúscula de casal e uma de solteiro. Com isso nossas opções eram bem mais restritas.



Bom, mas falando do roteiro em si. As Filipinas são formadas por nada mais, nada menos, do que 7 mil (!!!) ilhas. Pensa! Não são todas as ilhas habitadas e nem todas turísticas mas, ainda assim, é tanta ilha bacana, tanto lugar lindo, que fica bem difícil montar um roteiro pra lá! A vontade é incluir "todas" as ilhas! Mas, infelizmente, não é possível! Como eu teria menos de 20 dias disponíveis pras Filipinas (já que, nessa mesma viagem, também fui pro Vietnã, Laos e dei um pulo em Bangkok, na Tailândia) eu tive que fazer escolhas. E olha, não foi nada fácil.

Acabei optando pelas ilhas de Cebu, Boracay, El Nido e Coron. Mas fiquei com muita vontade de conhecer também Bohol, Camiguin, Siquijor, Sirgao, Port Barton e Donsol entre outros. Então, se você tiver mais tempo que eu, ou está indo pela 2ª ou 3ª vez, ou sei lá, quer fazer um roteiro diferente. Fica a dica desses outros lugares que parecem ser maravilhosos!

Antes de mais nada, é importante ter em mente que, provavelmente, você perderá um dia inteiro de viagem (ou quase isso) se deslocando entre uma ilha e outra.
  1. Porque é super comum os voos atrasarem por lá, sem nenhuma explicação! Eu dei sorte por só um voo meu ter atrasado e foram "só" 2 ou 3 horas, já não lembro. Mas sei de casos em que o voo atrasou mais de 10 horas. 
  2. Porque nem sempre tem aeroporto na cidade que você está hospedado. Então você irá gastar algumas "boas" horas pra chegar/sair de lá. Seja de carro (e considere que o trânsito em alguns lugares é caótico) ou mesmo de barco, já que às vezes, o aeroporto não só fica em outra cidade, como essa cidade fica em outra ilha. Outras vezes o barco é a única forma de ligação direta entre as ilhas. Dito isso, programe direitinho seu roteiro e desconsidere os dias de deslocamento. Se sobrar algum tempo pra ainda fazer algo, ótimo! Mas é bom não contar com isso.
E o roteiro ficou assim:
  • Cebu (Moalboal e Oslob) - 3 noites
  • Boracay - 3 noites
  • El Nido - 6 noites
  • Coron - 4 noites



Como nosso objetivo principal eram as ilhas de El Nido e Coron, concentramos mais dias nelas. E achei o tempo que fiquei em cada, ótimo! Já nosso tempo em Boracay foi prejudicado pelo atraso do voo de chegada e também pela mudança do voo de saída, que foi adiantado. Então acabamos tendo apenas 2 dias inteiros lá, o que achei pouco! Eu ficaria pelo menos um dia lá, mas só se tivesse mais tempo mesmo. Não tiraria nenhum dia das outras ilhas pra colocar em Boracay não. Mas isso sou eu! Tem gente que prefere Boracay a El Nido, por exemplo! Por fim, em Cebu, dividimos os dias entre Moalboal e Oslob. Deu pra gente ver tudo o que queríamos. Mas acho que um dia a mais em Moalboal teria sido o ideal pra conhecer as praias de lá. Ainda passamos um dia na capital Manila, mas nem chegamos a dormir lá. Foram só algumas horas no nosso último dia de viagem. 

Vou falar resumidamente de cada cidade que visitamos, mas depois faço um post detalhado sobre cada lugar. Prometo! rs

CEBU


A ilha de Cebu foi a nossa porta de entrada nas Filipinas. Chegamos lá às 10 da manhã, depois de passar a madrugada num voo vindo de Hanói, no Vietnã, pela Cebu Pacific Air, a principal cia aérea filipina. O aeroporto da ilha de Cebu fica em Cebu City, mas a cidade em si não tem nada de muito atrativo. Por isso, optamos em nos hospedar nas cidades de Moalboal e Oslob que ficam mais próximas aos atrativos que queríamos visitar. 

Mas caso queira, ou precise, se hospedar em Cebu City, veja algumas opções de hospedagem aqui.

MOALBOAL


Nosso 1° destino foi Moalboal, que fica a cerca de 100 km do aeroporto de Cebu. Contratamos um transfer direto com hotel que ficamos, o Bonita Oasis Beach Resort ,que saiu por 2500 pesos filipinos, mais ou menos uns 160 reais (janeiro de 2018). Como estávamos em 4 pessoas, compensou bastante pois além de ser mais confortável, ganhamos tempo e fomos direto pro hotel. Mas também existe opção de ônibus que, obviamente, é bem mais barato (pouco mais de 100 pesos ±7 reais), só que bem mais demorado também. E se você for pensar bem, não seriam só esses 100 pesos. Porque ainda teríamos que pegar um táxi do aeroporto até a rodoviária, esperar o ônibus (que sai de hora em hora) e  ao chegar em Moalboal, pegar um triciclo do centrinho até o hotel. Ou seja, o trabalheira e o tempo gasto não compensariam a pouquíssima (ou nenhuma) economia de dinheiro. Mas isso é porque dividimos o transfer por 4 pessoas, então cada uma pagou apenas 40 reais. Agora, se você estiver sozinho ou com menos pessoas e preferir ir de ônibus, a empresa que faz o trajeto é o Ceres Bus.

Infelizmente, tivemos que cortar um dia em Moalboal do roteiro porque não conseguimos voo pra Boracay na data que queríamos. Assim, acabamos não conhecendo absolutamente nada da cidade. O Bonita Oasis Beach Resort ficava um pouco afastado do "centrinho", que é ali no entorno da Panagsama Beach, e acabamos não saindo de lá pra nada. Almoçamos e jantamos no restaurante do hotel mesmo que, a propósito era uma delícia.

👉Veja outras opções de hospedagem em Moalboal

Roteiro Filipinas
Único lugar que conhecemos em Moalboal, a piscina do hotel! rs

Já o hotel em si nem era lá grandes coisas. O quarto era simples, mas o pessoal era simpático e a área externa bacaninha com uma piscina de frente pro mar, que era tudo o que precisávamos! Passamos a tarde toda lá, nos recuperando da madrugada que passamos em claro voando e guardando energias pro dia seguinte, quando faríamos o canyoneering até as famosas Kawasan Falls.

O Canyoneering (ou Canyoning) é algo como uma trilha, só que feita em cânions e rios onde é preciso nadar, boiar, caminhar entre pedrinhas, subir e descer pedronas, "brincar de escorregador" e/ou saltar em quedas d'água! Pra vocês terem uma ideia, eu cheguei a saltar de uma cachoeira de 15 metros (pasmem!). Mas se você se assustou, calma! Nem todos os saltos são obrigatórios, só uns 2 ou 3 e esses são baixos e bem tranquilinhos. Os saltos mais altos são sempre opcionais! Antes do passeio eu estava bem na dúvida de quais eu teria coragem de saltar, mas lá na hora, com a adrenalina a mil, eu acabei saltando de todas! E amei!

Achei tudo ótimo e se você gosta de coisas do gênero, que envolvam adrenalina e desafios, não deixe de incluir no roteiro! Você vai amar! O caminho todo é maravilhoso! Vale muuuito a pena mesmo! Vou escrever um post exclusivo sobre essa experiência incrível. Mas por hora, deixo a dica da empresa que eu contratei a Island Trek Tours. Essa dica, na verdade, eu peguei com a Carol (do Vícios de Viagem) e a Lily (do Apaixonados por Viagens). Aliás, peguei muitas dicas das Filipinas nos blogs delas, aproveitem pra darem uma lida neles também. As 2 fizerem o passeio com essa empresa e adoraram! E eu nem procurei outra empresa, fui direto neles. Afinal de contas, nada melhor do que uma indicação de quem a gente conhece e já fez o mesmo, né? E não, eu não estou ganhando nada pra indicar essa empresa (as meninas também não), é propaganda gratuita mesmo! Rs. Porque coisa boa a gente compartilha!

Roteiro Filipinas
Canyoneering nas Kawasan Falls

Eu gostei muito mesmo do serviço deles, ainda mais comparando com as outras empresas que vi por lá! Tivemos 2 guias só pra nós 4, o Ciller Arnaiz e o Jan Guiller Baldivino, que eram ótimos. Anotem esses nomes e peçam pra ir com eles.. e aproveitem pra mandar um abraço nosso pra eles.  Super engraçados, divertidos, pacientes, solícitos, nos ajudavam a todo momento e tiravam muitas fotos nossas! Amei! E olha, salvo raras exceções, os outros grupos pelos quais passamos, além de serem grandes, na maioria das vezes, tinham apenas 1 guia, que ia lá na frente e deixava o povo correndo e tropeçando atrás. Ou seja, nossa escolha foi a melhor possível!

Nós combinamos com a empresa de nos pegar no nosso hotel em Moalboal e nos deixar no hotel de Oslob, que era nossa próxima parada, já que a Kawasan fica mais ou menos no meio do caminho entre as 2 cidades. Pagamos 2.800 pesos filipinos (± 180 reais) por pessoa pelo passeio que durou 6 horas + almoço + transfer de Moalboal pra Kawasan Falls (uns 50 minutos) e de lá (cerca de uma hora e meia) pra Oslob. Achei o preço super justo! Não só porque o passeio por si só já é incrível, mas também pela facilidade do transfer. Se tivéssemos que voltar pra Moalboal pra depois ir pra Oslob de ônibus ou mesmo táxi, gastaríamos muito mais tempo e dinheiro! Bom, mas isso foi o que eu paguei! Os valores variam de acordo com o número de pessoas (quanto mais gente, mais barato) e com o local de onde o transfer sai e chega, isso se você optar pelo transfer. Porque também pode chegar lá por conta própria, de ônibus ou táxi se preferir.

OSLOB


Já em Oslob, nós passamos 2 noites, mas tivemos apenas um dia inteiro. Chegamos já no final da tarde e saímos de lá na manhã do 2° dia, direto pro aeroporto. Aqui também contratamos um transfer  para o aeroporto direto com nosso hotel em Oslob, que saiu por 3500 pesos filipinos para 4 pessoas. A distância é cerca de 180 km e nós gastamos quase 4 horas no trajeto até o aeroporto. O trânsito na cidade Cebu é horrível. Portanto, conte sempre com um possível atraso. Se preferir ir de ônibus, assim como em Moalboal, quem faz o trajeto de Oslob até Cebu City, também é a Ceres Bus. 

Ficamos hospedadas no The Biggies Inn, uma pousadinha bem simplesinha que deixou um pouco a desejar. Principalmente no quesito banheiro que não tinha box, nem cortinha (isso é até bem comum na Ásia, mas não deixa de ser chato porque ensopa o banheiro inteiro), nem chuveiro quente (e nem tava fazendo tanto calor assim pra justificar um banho frio) e a pressão da água da privada e da pia era fraquíssima, isso quando não falhava!

O quarto era simples mas era ok. Mas a julgar pelo preço que pagamos (1200 pesos a diária num quarto triplo, o que dá uns 25 reais por pessoa) também não dava pra exigir muita coisa, neee? De toda forma acho que vale o alerta, principalmente pra quem faz questão de banho quente. Mas se você não liga pra isso e tá afim de economizar, vai fundo. Os funcionários são ótimos, super solícitos e organizaram todas nossas atividades na cidade pra gente! Taí um ponto super positivo!


O principal motivo de termos ido pra Oslob foi para nadar com os tubarões baleia. Eu já tinha visto fotos ótimas de lá e lido relatos incríveis, apesar de também já ter lido reclamações. Mas, como as informações eram desencontradas e eu não tinha certeza se era um tipo de turismo de exploração ou não, eu resolvi pagar pra ver! Paguei! E não gostei do que vi! Não dá pra dizer que seja algo tão cruel quanto a tortura de andar em cima de elefantes, prática super comum na Tailândia e em outros países da Ásia e sobre o qual eu até já escrevi um post a respeito, dá uma olhada aqui. Mas de toda forma, não é algo legal!

Whale Shark Filipinas
A foto não está das melhores e não dá pra ter noção do tamanho enorme dele! 

Eu fiquei assustada com a quantidade gigantesca de pessoas que estavam ali pra ver o único tubarão baleia que apareceu rapidinho nesse dia. Como chegamos cedo e já tínhamos feito a reserva dos nossos lugares, conseguimos ir logo na 1ª leva. Cada barco pode ficar na água por cerca de 30 minutos. E aí todo mundo se joga na água e fica lá esperando o tubarão baleia aparecer. Ele passou 2 vezes por nós seguindo um "treinador" que jogava comida pra ele. Mas assim que ele encheu a barriga, ele foi embora deixando milhares de pessoas a ver navios, literalmente!

Ainda vou fazer um post específico sobre isso, mas por hora saibam que não foi uma experiência legal. Quer dizer, não dá pra negar que ele é lindo, enorme e a emoção de vê-lo de pertinho é maior ainda! Mas o circo do entorno é assustador!

Agora, se você quiser muuuito nadar com tubarões baleia nas Filipinas, sugiro então que você vá para uma outra ilha, a Donsol Bay, onde a coisa acontece de forma beeem diferente e mais sustentável! Então acho que vale a pena tentar! Mas em Oslob, definitivamente, não!

Bom, mas saímos de lá ainda cedo e fomos conhecer as Tumalog Falls, uma cachoeira lindíssima que merece, e muito, a visita! Eu tinha lido que ela estava seca há anos (só a queda, o poço não) e por isso muita gente estava deixando de visitá-la. Mas como tinha chovido muito um pouco antes de irmos, ela estava super cheia e simplesmente maravilhosa!


Roteiro de viagem Filipinas
A linda e enooorme Tumalog Falls

(Em dezembro de 2017 rolou uma, ou melhor, algumas tempestades tropicais, com direito a tufões e tudo mais nas FIlipinas. Até onde eu fiquei sabendo, mais de 200 pessoas haviam morrido e outras muitas centenas estavam desabrigadas 😢 Infelizmente, os tufões são bem comuns nas Filipinas. Mas nem sempre vêem tão devastadores assim. De toda forma, é melhor evitar viajar pra lá na época de chuva. E olha que dezembro é justamente o mês que dá início à estação seca por lá, que vai até março. Por isso mesmo, teoricamente, essa é melhor época pra visitar o país. Maaas, como o clima tá todo louco... não dá pra confiar muito nisso de melhor época, né?!)

O restante do dia passamos na Sumilon Island, uma ilha exclusiva do hotel de mesmo nome que oferece um serviço de day use. Eu gostei bastante de lá! E acho que vale muito a pena passar um dia "de patrão" lá! Ou melhor ainda, ficar hospedado lá e ter a ilha todinha só pra você... antes dos turistas chegarem e depois que eles tiverem ido embora, claro!

Pra saber mais informações do day use na Sumilon Island, como chegar, preços, o que fazer, etc e tal, dá uma olhada aqui nesse post. Agora, se você tá querendo tirar onda e dormir lá, acesse aqui pra saber valores, disponibilidade e fazer sua reserva. 

Sumilon Island. Filipinas
Sumilon Island, em Oslob


BORACAY



ATENÇÃO!!! 
A Ilha de Boracay irá fechar para o turismo nos próximos 6 meses!!!! A medida já começa a valer agora no dia 26 de abril (2018)! Clique aqui pra saber mais detalhes. 

Boracay é conhecida como a Ibiza Asiática! Mas, sinceramente, eu não sei se tem muito a ver não! Eu não conheço Ibiza, mas conheço a fama das festas. E em Boracay a coisa não é essa animação toda assim não! Até tem uma ou outra balada por lá, mas nada demais! Pelo menos não pros meus padrões brasileiros de festa. Mas talvez pros padrões filipinos a coisa seja diferente! rs

Em geral, os restaurantes fecham cedo, antes de meia noite. E aí só mesmo as baladinhas ficam abertas até mais tarde. Pra quem tá acostumado com o agito do litoral brasileiro, eu diria que Boracay é até bem devagar!



Minhas amigas acharam Boracay parecida Porto Seguro. Mas eu também não acho que tenha a ver não! rs. Bom, se você pensar pelo lado que o público é basicamente formado por jovens (sabe aqueles grupos de adolescentes em excursão de escola/faculdade?) e famílias que adoram atividades de praia, tipo banana boat e coisas do gênero, pode até ser. Mas é só!

No quesito animação, Porto Seguro dá de 10! Em contrapartida, no quesito praia bonita, Boracay ganha disparado. Não apenas pela beleza em si (o que é aquele azul/verde do mar filipino? 😍) mas também, e principalmente, por não ter aquelas barracas de praia gigantescas tocando música alta dia e noite, que eu odeio, mas que atraem milhares de turistas pra Porto Seguro. Eu sei, gosto é gosto, e isso não se discute. Mas, definitivamente, esse não é o meu tipo de praia! Não que Boracay seja ruim! Não é mesmo! Eu curti bastante a cidade! Mas é que eu prefiro lugares como El Nido e Coron.

Pra mim, único problema real foi que não pegamos um tempo muito bom por lá, e aí não conseguimos fazer tudo o que queríamos! Até porque tivemos menos tempo do que havíamos planejado. Nosso voo de Cebu pra lá atrasou e acabamos chegando em Boracay só no fim da tarde, então nem conseguimos curtir praia nesse 1° dia. O 2° dia amanheceu chovendo e saímos do hotel já próximo ao meio dia, quando o sol apareceu! Nesse dia, ficamos só ali na praia principal, a White Beach mesmo, curtindo preguiça e umas cervejas num barzinho pé na areia.

Roteiro de Viagem Filipinas
Boracay, Filipinas

Tínhamos programado fazer um passeio de barco que dava a volta na ilha mas, novamente o dia amanheceu chovendo e desistimos. Resolvemos então ir pra Puka Beach, uma praia um pouco mais afastada, que muitos nos recomendaram conhecer. Pra chegar lá, fechamos um triciclo pra nós 4 que saiu por 250 pesos filipinos cada trecho (em janeiro de 2018).

A praia é realmente muito bonita e bem mais tranquila que a White Beach. Passamos o dia lá e voltamos ainda a tempo de assistir ao pôr do sol na White Beach enquanto almoçávamos/jantávamos num dos vários restaurantes pé na areia. Foi a minha praia preferida na ilha, tanto que ganhou até um post só pra ela. Dá uma lida aqui pra saber mais. 

Nosso último dia na ilha amanheceu ensolarado! Mas, infelizmente, não conseguimos aproveitá-lo. Nosso voo adiantou, então tivemos que ir embora mais cedo do que o esperado inicialmente. E como não teríamos tempo de fazer muita coisa, aproveitamos pra acordar um pouco mais tarde. Até porque tínhamos ido numa baladinha na noite anterior. A única coisa que tivemos tempo de fazer foi dar um pulo rapidinho na Bulabog Beach, a praia que ficava ao lado da nossa pousada, a Lazy Dog Bed & Breakfast pra ver os kitesurfistas darem um show e colorirem o céu!

Veja outras opções de hospedagem em Boracay

Roteiro de viagem Filipinas
A Puka Beach à esquerda e a Bulabog Beach à direita. 


EL NIDO


De todas as ilhas Filipinas, acho que El Nido era a que eu mais estava ansiosa pra conhecer. Eu já tinha visto taaaantas fotos lindas de lá que não via a hora de ver tudo aquilo ao vivo e a cores!

El Nido não tem toda aquela estrutura, nem as facilidades de Boracay. É bem mais roots, bem menorzinha e a cidade em si não tem muita graça. Na verdade, atualmente, El Nido parece um grande canteiro de obras, pra onde quer que você olhe, verá algo (geralmente um hotel) em construção ou reforma. Mas tirando isso, tem vários restaurantes e bares bem bacaninhas. Eu, inclusive, prefiro assim!

Bom, e em termos de belezas naturais... Que lugar incrível, gente! Tão incrível que decidimos ficar um dia a mais por lá! Inicialmente teríamos 5 noites em El Nido, com 4 dias inteiros, mas acrescentamos mais um dia. E te digo que ficaria até mais se pudesse!

As principais atrações de El Nido são os passeios de barco que são divididos em tours A, B, C e D. A grande maioria das pessoas acaba se limitando a algum(ns) desses tours e pronto! Seja num passeio privado ou num grupão (naqueles barcos de passeio pra várias pessoas), você não tem muita opção de escolher nada mesmo não. Mas existe ainda um recém criado tour Z, que promete praias vazias num roteiro tradicional. Vi algumas agencias vendendo esse passeio, mas eu acho que existe apenas um barco que faz esse tour, porque não faria sentido ter vários barcos fazendo o mesmo tour já que a propaganda é de que as praias seriam desertas. E também todos os cartazes que vi eram iguais. Enfim... não fiz pra saber, nem sei se é legal ou não. Mas pode ser uma opção se você não quer/pode fazer tours privados, mas gosta de fugir um pouco do óbvio.

roteiro filipinas
El Nido

Eu já viajei pra El Nido com a intenção de fazer apenas passeios privados, não só pela flexibilidade de tempo e escolha de roteiros, mas também pra (tentar) fugir das multidões, assim como da super lotação dos barcos. Eu sei que pra quem está viajando sozinho ou de casal, fechar um barco só pra você(s) pode sair caro.

Mas se estiver viajando em grupo, vale muito a pena fechar um barco privado que pode, inclusive, sair pelo mesmo preço, ou até mais barato, do que o grupão. Só pra vocês terem uma ideia, os preços dos tours giram em torno de 1100 a 1500 pesos por pessoa nas agências. Já o preços dos passeios privados pode variar muito, isso vai depender dos lugares que você quiser visitar, do número de pessoas e seu poder de negociação rs.

Como estava viajando com 3 amigas, um barco dividido por 4 pessoas não seria assim tão mais caro! Mas logo que chegamos no aeroporto de El Nido, conhecemos outros 4 brasileiros que, por coincidência também estavam hospedados na mesma pousada nossa, a Casa Cecília. E aí acabamos fechando todos os tours junto com eles. Portanto, mesmo viajando sozinho ou num grupo pequeno, de repente você também acaba conhecendo pessoas bacanas pra fechar um tour privado.


Fizemos nosso 1° passeio com uma empresa, que acho que nunca soube o nome rs, que encontramos em uma das ruazinhas de El Nido. Optamos em começar pelo tour A, que junto com o C, são os mais populares de lá. O passeio foi legal, mas poderia ter sido melhor! Não pelos lugares, isso não tem o que contestar!

O barco era bacana, o guia (acho estranho falar guia, mas é essa palavra mesmo que eles usam: guide tour) era legal, o capitão e os ajudantes super bonzinhos. Mas algumas coisas não nos agradaram: 1° que marcamos de sair às 8h e, por vários motivos diferentes, só conseguimos sair umas 9:30. 2° porque pedimos pra tentar fugir das multidões, o guia custou a entender o que queríamos e até se esforçou, mas não rolou muito.

Mas isso nem é tanto culpa dele, já que o tour A é um dos mais lotados. E 3° porque na hora de ir embora, paramos num porto mais afastado da cidade e tivemos que nos virar pra ir embora sozinhos. Não que isso fosse um problema real. Mas sei lá, ficamos meio perdidos, esperando o guia aparecer pra falar pelo menos onde a gente estava! rs. Mas ele não desceu, só deu um tchauzinho e foi embora junto com o barco. Aí entendemos que tínhamos que nos virar pra ir embora. Então, caminhamos até a avenida e pegamos um triciclo de volta pra pousada.

praias de el nido
El Nido

Eu tinha comentado que uma das meninas resolveu ir com a gente de última hora, né? Pois é, em El Nido ela não conseguiu ficar na mesma pousada que a gente e acabou ficando no ZEN Hostel OMP El Nido (ele é bem localizado, fica bem pertinho da nossa pousada. Mas é meio feioso por fora e minha amiga disse que o quarto, apesar de arrumadinho é bem pequeno e só tinha 1 banheiro pra 9 pessoas do quarto). Bom, mas lá ela conheceu uma portuguesa que tinha feito um passeio num barco privado e falou maravilhas dele. Aí resolvemos arriscar esse outro barco e foi ótimo! Gostamos tanto que fechamos todos os outros passeios com ele! Nós 4, os 4 brasileiros, a portuguesa e um casal de de italianos que ela conheceu lá também.

O barco em si era melhor e maior do que o 1°, a comida uma delícia, o guia Emil (guardem esse nome rs) era uma graça de pessoa e o capitão e os ajudantes também eram ótimos. Eles sim, conseguiram nos tirar das multidões. Pegamos vaaarios lugares completamente vazios ou com poucas pessoas. Enfim, foi sensacional! E eu super recomendo!

Assim, nós fizemos uma combinação do tour C com o D num dia e no outro dia, o tour B com umas praias fora dos roteiros tradicionais e terminamos o passeio na praia de Las Cabanas, que faz parte da ilha principal de El Nido mesmo. Lá assistimos ao pôr do sol e voltamos já à noite pra El Nido. E detalhe, o Emil (o guia) ficou junto com a gente o tempo todo e até tomou umas cervejas conosco pra brindar esses 2 dias lindos que passamos todos juntos! 😊.

No 4° dia, nossos amigos brasileiros iriam embora no meio da tarde e o Emil arranjou uma van pra nos levar à praia de Nacpan, onde passamos o dia bem de boa. Na volta, a van deixou nossos amigos no aeroporto e a ideia era irmos, mais uma vez, assistir ao pôr do sol em Las Cabanas, mas o tempo estava feio e acabamos desistindo! Aliás, dos 5 dias que passamos em El Nido, apenas 2 pegamos sol, acreditam? Bom, não deixamos de aproveitar nada por causa disso, mas não há como negar que tempo fechado acaba deixando os lugares menos bonitos, né? Porque feio não é uma palavra que se aplica pra El Nido de forma nenhuma!rs Mesmo sem sol achamos tudo lindoooo 😍

roteiro filipinas
Nosso grupo todo reunido no fim de tarde em Las Cabanas, à esquerda. E nós 4 com o guia Emil e nossos chapéus de folha de coqueiro que ele mesmo fez pra nós, à direita.

A princípio, iríamos pra Coron no dia seguinte cedinho. Mas resolvemos ficar mais um dia e foi a melhor coisa que fizemos! Pegamos um sol maravilhoso nesse dia e nos apaixonamos ainda mais por El Nido. Fechamos um tour com o Emil só pra nós 4 e pedimos a ele apenas que nos levasse a praias bonitas. E ele fez o serviço dele direitinho! Cada lugar mais lindo que o outro e, o melhor, sem absolutamente sem ninguém! Não poderia ter havido despedida melhor desse paraíso! Foi perfeito!

Então, a melhor dica que eu posso te dar de El Nido é: procure o Emil e faça ao menos 1 passeio privado com ele, se possível faço todos, claro! Ele é o melhor! Não tenho absolutamente nada a reclamar, pelo contrário, sou só elogios ao trabalho dele e à pessoa incrível que ele é! Infelizmente, ele não tem celular com internet, então nem adianta contato por WhatsApp. Ele até disse que tem e-mail, mas não nos passou e até hoje não aceitou minha solicitação de amizade no Facebook! Ou seja, vai ter que ligar mesmo ou mandar SMS, se tiver comprado um chip local. Ou então, peça pra alguém da recepção do seu hotel ligar, ou alguém na rua, sei lá! Se vira, mas liga pra ele! haha E manda um abração meu, por favor! Anota o telefone dele aí: 📞 Emil Talatagod +63 0928849 5031 ou o da agência +63 0920600 5975.


CORON


Coron foi nosso último destino nas Filipinas! Ainda vou escrever um post exclusivo contando nossa saga pra chegar mas, se você estiver indo de El Nido pra lá, saiba que a única forma possível é ir de barco. Até existe aeroporto nas 2 cidades, mas não existe voo direto. Portanto, o mais lógico é fazer o trajeto de barco. 

Eu tinha lido em vários lugares que todo mundo comprava a passagem do barco lá na hora. Então, relaxei total e só fui pensar nisso de novo quando cheguei em El Nido. Só que a coisa não é bem assim. Pelo menos não na alta temporada. Só que aí já era tarde demais! Não conseguimos comprar passagem no "fast boat" e quaasasse não conseguimos também o "slow boat". No final, graças ao nosso barqueiro Emil (cola nele que é sucesso, gente. Já falei, né? rs) conseguimos embarcar! 🙌

Mas a comemoração durou pouco. Antes mesmo da viagem começar já percebermos que passar 7 horas naquele barco seria muito sofrido! Ele era muito desconfortável, entrava água em todos os lugares, molhava tudo e todos. Pra variar, eu enjoei horrores. O que só piorou meu sofrimento e fez com que as horas passassem ainda mais devagar. Mas sobrevivi! 😅

Então, o conselho que eu dou é: comprem o fast boat o quanto antes! Se for em alta temporada, como eu fui, já garanta seu ticket pela internet! O site é esse aqui. Vi que também existem alguns outros sites de agências e coisas do tipo. Não vou indicar nenhuma porque não conheço, não sei se são boas ou confiáveis! Mas se não conseguirem no site oficial, joguem no Google que vai aparecer os demais! 

Coron também tem seus tours A, B, C e D (e vi até algumas agências com tour E, F...  e por aí vai) mas, ao contrário de El Nido, a maioria das pessoas não se referem a eles pelas letras. Até porque é bem comum as próprias agências misturarem os destinos e darem nomes novos aos tours. Como é o caso do Ultimante Tour, ou ainda do Super Ultimate Tour, que reúne os melhores destinos em um só tour!

O 1° tour que fizemos em Coron foi o tour C, que é mais conhecido como Reefs and Wrecks. Como o próprio nome já sugere (ao pé da letra seria algo como "corais e naufrágios"), esse tour tem como foco principal o mergulho. No nosso caso fizemos apenas snorkel, mas vimos alguns grupos fazendo mergulho de cilindro em todos os pontos que passamos. Eu amei esse passeio! A vida marinha de Coron é algo surreal! A variedade é enorme, algo como eu vi em pouquíssimos lugares do mundo! Impressionante mesmo!

roteiro viagem filipinas
Alguns atrativos de Coron

Fechamos esse tour direto na agência do hotel que ficamos, o Coron Villa, que é super bonitinho. Minha amiga retardatária (rs) acabou não conseguindo ficar junto com a gente também. Ela ficou no Dayon Hostel e amou! Optamos por fazê-lo num grupão porque não era um tour assim tão popular e como o foco era subaquático não precisaríamos de tanta exclusividade. Claro que ninguém merece um lugar lotado, muito gente sempre atrapalha. Mas isso não aconteceu. Foi ótimo! O grupão nem era tão grande assim. Fomos apenas 8 pessoas (4 desistiram na última hora! 🙏) num barco bacana com pessoas bacanas. Excelente!

Mas fiquei assustada quando, no final do passeio, vi os outros barcos que estavam fazendo outros tours, chegando lotaaaados. Alguns deles nem tinham lugar pra todo mundo sentar direito. Portanto, vejam direitinho qual agência escolher. Qualquer coisa, dêem um pulo lá no hotel que ficamos e fechem por lá, mesmo que não estejam hospedados lá! Não posso garantir que todos os tours são legais, mas esse foi ótimo! Teve até donuts com coca cola no final do passeio! 😍


Já nos outros 2 dias, optamos por fazer os passeios privados. Também fechamos direto no nosso hotel, num barco exclusivo deles, até com nome pintado. Gostamos muito do serviço! O barco era grande, confortável, o barqueiro e o capitão muito bacanas e a comida deliciosa. Aliás, como o barco era privado, o barqueiro nos levava ao mercado cedinho pra comprarmos o queríamos comer, tudo fresquinho e personalizado! Muito legal!

O 1° passeio privado que fizemos foi o tal do Ultimate Tour que passa pelos principais pontos turísticos de Coron. Mas nós escolhemos os lugares que queríamos ir. Foram eles. em ordem: Siete Pecados, Twin Lagon, Banul Beach, Barracuda Lake e Kayangan Lake.

Com um nome desses, não é difícil imaginar que esse é o tour mais  popular/lotado de lá, não é? Pois é... Não dá pra fugir muito disso, já que vai ter gente e, todo lugar o tempo todo. Mas dá pra pegar os lugares menos cheios se você for num horário diferente dos demais barcos, seja antes ou depois da maioria. Foi o que fizemos! E deu certo! Taí a grande vantagem de se fazer um tour privado...

E por fim, no nosso terceiro e último dia em Coron, fizemos o tour B, que também é chamado de tour das praias e inclui as ilhas de Malcapuya, Banana e Bulog Dos. Pensa num paraíso! São essas ilhas! Inacreditável a beleza delas! Melhor despedida impossível! Dia lindo! Lugares lindos! Tudo perfeito!

roteiro filipinas
Despedindo de Coron com chave de ouro


MANILA


A capital filipina não tem lá muitos atrativos interessantes pra serem visitados. Bom, pelo menos é o que todo mundo diz. Como eu curto mesmo são os lugares de natureza, nem pensei em separar um(ns) dia(s) pra conhecer a cidade não! Mas como nosso voo de volta pro Brasil saía de lá, acabamos passando algumas horas. 

Como atrasos em voos é algo corriqueiro por lá, nós saímos de Coron no 1° voo do dia pra garantir que não teríamos problemas. Chegamos em Manila às 9h da manhã, mas nosso voo pro Brasil só sairia às 10h da noite! Sem chance de eu passar esse tempo todo no aeroporto esperando pra pegar um voo que iria durar séculos. Então, reservamos um hotel, na verdade um apartamento, o Azure Beach Resort Manila, próximo ao aeroporto pra descansar, tomar banho e curtir preguiça na piscina. O lugar era uma graça e o investimento, menos de R$50,00 por pessoa, super valeu a pena. 



Ufa! É isso! Ainda vou escrever outros posts com muito mais detalhes e várias dicas sobre as Filipinas, mas por hora é só! Qualquer dúvida que tiverem, não deixem de mandar mensagem aqui! 


--
Tá indo viajar? 

➥ Reserve sua hospedagem pelo Booking, o maior portal de hospedagem do Brasil. Garanta já o melhor preço e vários descontos. É rápido, fácil e seguro!




➥ Não se esqueça de fazer seu seguro viagem. A Real Seguros trabalha com as melhores seguradoras do país. Compare e escolha a melhor opção pra você. Viaje sem correr riscos!

Seguro viagem asia 728x90

➥ E se for alugar um carro, use o serviço da nossa parceira Rental Cars que compara preços e carros de várias locadoras no mundo todo!




✔ Você não paga nada a mais por nada disso, pelo contrário, economiza conseguindo os melhores preços e descontos! E ainda ajuda esse blog a se manter!! ✌

2 comentários :

  1. Caramba!! Muito legal seu post. Já tinha visto outra postagem sua falando de Noronha que curti muito tb.Parabens. Então, estamos, eu e minha esposa, planejando uma viagem de, no máximo, 20 dias para a Ásia com uma paradinha em Dubai de uns 3 dias. Estamos pensando em Tailândia e Filipinas, mas estou vendo que o tempo é curto para isso! Gostamos, assim como voce, de belezas naturais e locais que se coma bem e tenha uma boa hospedagem, fugindo do turismo de massa e aglomerados. Você poderia nos orientar sobre os lugares que você considera indispensáveis para ir? Muito obrigado e parabéns mais uma vez.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Jose, tudo bem?
      Desculpe a demora em responder, mas é que estou viajando.
      Então, 20 dias realmente é muito pouco pra fazer os 2 países, ainda mais se você considerar que vai tirar 3 dias pra Dubai.
      Recomendo que vc escolha apenas um. Difícil escolher entre Tailândia e Filipinas. São lugares bem diferentes!
      Tailândia é mais famosa, tem mais estrutura e tem maior variedade. Você pode ir pra Bangkok (que eu adorei), pras ilhas (são vaaaaaaaarias opções) e também conhecer os templos do norte do país.
      Já nas Filipinas, o foco maior mesmo são as belezas naturais. Mas aí o turismo ainda não é tão desenvolvido, então a coisa é bem mais roots... inclusive em termos de infraestrutura o que, pra mim, não é problema algum. Gosto mesmo de lugares assim... da confusão do terceiro mundo! Mas não é todo mundo que encara bem! Tailândia já é tudo bem mais organizadinho! Muito mais fácil você conseguir uma boa hospedagem por lá e inclusive bons restaurantes, por exemplo.
      De repente, pra uma 1a vez na Ásia, seja melhor vocês irem pra Tailândia pra sentirem como é. E aí depois, vocês vão pra Filipinas e outros países. Pq tenho certeza que vcs vão gostar tanto que vão querer voltar!!! hahaha
      Ainda não consegui terminar o post exclusivo sobre a Tailândia, mas no meu post com o roteiro do Sudeste Asiático eu falei bastante coisa do que eu fiz por lá e tem outros posts específicos no blog.
      Dá uma pesquisada! Qualquer dúvida é só falar!

      Excluir

Comente aqui