12

Tailândia - Roteiro de Viagem

Renata Campos | 14.3.19 |

roteiro de viagem tailândia


Ahhh Tailândia! Como não se apaixonar por esse país incrível, de uma cultura riquíssima e interessantíssima, com um povo super simpático e sorridente e praias paradisíacas? Essa é praticamente uma tarefa impossível! 

Uma coisa é fato: você vai amar a Tailândia e já vai fazer planos de voltar, antes mesmo de ir embora! Essa foi, inclusive, a primeira coisa que falei no post 15 coisas que você precisa saber ANTES de ir pra Tailândia. Se você estiver indo pra Tailândia, aproveita e já dá uma lida lá também. Tem muita dica útil pra você programar sua viagem e não cair em furadas!

Eu fiquei tão enlouquecida pela Tailândia, pela Ásia como um todo, na verdade, que menos de 2 meses depois de voltar de viagem, eu já tinha comprado outra passagem pra ir de novo! haha. Na minha segunda vez na Ásia, visitei Bangkok bem rapidamente, só pra matar saudades mesmo, e seguimos viagem para  LaosVietnã e Filipinas.

Bom, mas, nessa 1ª viagem eu passei 14 dias na Tailândia. O que eu achei pouco, muito pouco! Dá pra ficar um mês inteiro por lá fácil! Queria ter conhecido vários outros lugares e também ter ficado, pelo menos, 1 dia a mais em cada um dos lugares que eu conheci. Ou seja... vou ter que voltar outras vezes, não vai ter jeito! haha

A viagem aconteceu em dezembro e janeiro de 2016/2017. Começamos na Tailândia e depois ainda visitamos o Camboja, Singapura, Malásia e Myanmar. Escrevi o roteiro completo da viagem, que durou pouco mais de 30 dias, nesse post: Roteiro de Viagem: Sudeste Asiático.

Meu roteiro por lá ficou assim:
  • Bangkok - 3 dias 
  • Railay Beach - 3 dias
  • Phi Phi - 4 dias
  • Chiang Mai - 3 dias 
  • Chiang Rai - 1 dia

BANGKOK

A capital Bangkok foi nosso 1° destino no país. Tivemos outros 3 dias inteiros na cidade o que eu, particularmente, achei pouquíssimo! Infelizmente não tive tempo de conhecer muito bem a parte nova e moderna de Bangkok... vai ficar pra uma próxima!

Resolvi focar na parte antiga da cidade e seus vááários templos. Tem tanto templo que a gente acaba ficando meio perdido sem saber quais priorizar, até porque não dá pra ver tudo mesmo! E depois de ver uma meia dúzia, eles já começam a fica repetitivos. Os templos estão longe de serem todos iguais, são até bem diferentes uns dos outros... mas assim  com alguma coisa em comum! rs.


Leia também: Como se locomover na Tailândia

O QUE FAZER EM BANGKOK


Independente do tempo que você tenha em Bangkok, não saia de lá sem visitar o Grand Palace e também o What Pho, eles ficam bem próximos um do outro e dá pra ir a pé. Você vai precisar de algumas boas horas pra conhecer cada um deles com calma! Além de serem grandes, eles têm muitos detalhes e você nem vê o tempo passar!

Templos de bangkok
Grand Palace (acima) e What Pho (abaixo)

Outros templos que eu gostei bastante foram o Wat Saket (ou Golden Mount) e do Wat Benchamabophit (ou Templo de Mármore). Mas também merecem uma visita o Wat Ratchanatdaram, o Wat Traimit, onde fica o maior Buda de ouro maciço do mundo, o Wat Indra Viharn que tem um Buda de pé , o Wat Suthat que fica em frente ao The Giant Swing e o Wat Arun, o tal templo que fica do outro lado de rio e que fez parte da nossa vista durante o jantar de natal, todo bonitão e iluminado.

Outros templos de Bangkok que merecem a visita. De cima pra baixa, da esquerda pra direita: Wat Saket, Wat Ratchanatdaram, Wat Indra Viharn, Wat Traimit, Wat Benchamabophit e Wat Arun.

Vocês já devem ter percebido que Wat significa templo, né? Vou falar de cada um deles com mais detalhes em outro post. Mas, por enquanto, só anotem esses nomes pra montar o roteiro de vocês! 

Outro "detalhe" importante que é bom já saber é que, para visitar os templos, é necessário cobrir os ombros e também os joelhos. Na maioria deles, dá pra usar uma blusa sem manga (já que o calor é insuportável) e se enrolar com um lenço! Mas em alguns lugares, como no Grand Palace, você só entra se estiver de blusa de manga e calça ou saia comprida. Caso contrário, terá que alugar alguma roupa lá na hora pra usar. Essa regra vale para homens e mulheres

Em muitos templos também só é permitido entrar descalço, então pense num calçado confortável e fácil de tirar e colocar. Outra dica valiosa é levar lenços umedecidos pra limpar os pés quando sair dos templos! Afinal de contas, o chão é quase sempre bem sujo e não vai ser nada muito legal você ficar tirando e colocando seu pé sujo (e suado... já falei que lá é muito quente, né? hehe) dentro do sapato ou sandália que seja. 

Para saber como se comportar nos templos e o que vestir, leia:
15 coisas que você precisa saber antes de viajar para a Tailândia 


BATE E VOLTA A PARTIR DE BANGKOK


Como eu já disse, meu tempo em Bangkok foi curto mas, mesmo assim, tirei um dia para fazer um bate e volta à Ayutthaya, antiga capital tailandesa e hoje Patrimônio Mundial da Humanidade. Existem várias maneiras de se chegar lá: trem, ônibus, vans ou contratando passeios de agências. Como éramos muitos resolvemos fechar 1 van que ficou por nossa conta o dia o todo, nos levando de um templo ao outro. Quem vai de transporte público, quando chega lá ainda precisa contratar um táxi, tuk tuk, bike ou algo do gênero porque os templos ficam longe uns dos outros.

Ayutthaya tailandia
Ayutthaya


Existem ainda outras opções de bate e volta a partir de Bangkok, mas nenhuma outra me interessou. Muita gente vai no mercado flutuante, mas já li tanto que era "pega turista" que nem cogitei ir. 

A NOITE DE BANGKOK


A noite em Bangkok é super famosa e animada! Se você também quiser curtir a noite, sugiro reservar um tempo ainda maior pra cidade, pra poder dormir até um pouco mais tarde e não ficar parecendo um zumbi como eu. Como comentei, tive pouquíssimo tempo na cidade mas quis aproveitar não apenas os vários atrativos de Bangkok, mas também as 4 noites que passei lá. Eu praticamente não dormi por lá! Nem idade pra isso eu tenho mais, gente! hahah

Os lugares que conheci e recomendo são:
Asiatique The Riverfront, uma área portuária que foi restaurada e hoje é algo como um shopping a céu aberto com várias opções de lojas e restaurantes e uma vista linda da cidade. Um restaurante legal e também com uma vista bacana do rio Chao, é o The Deck Bangkok. Mas existem outros

A  Khao San Road, a rua mais famosa e louca de Bangkok, não pode ficar de fora, claro! Ela tem várias opções de restaurantes, bares, baladas e barraquinhas de rua também onde você pode provar a culinária tailandesa (só cuidado com a higiene porque casos de infecção alimentar são super comuns) e até mesmo aranhas, escorpiões e afins (há quem goste, né? Eu não me atrevi! rs).

Outra opção semelhante à Khao San (mas ao mesmo tempo diferente rs) é a rua vizinha Rambuttri, que já é bem mais arrumadinha e cheia de restaurantes e bares bonitinhos. Aproveite pra fazer uma massagem por lá também! Seja nos pés, nas costas ou a famosa massagem tailandesa! Vale muitíssimo a pena e é super barato!

Além e, claro, um rooftop também não pode ficar de fora. Opções não faltam! Eles são bem populares em Bangkok. Como não tive como conhecer mais de um, optei por ir logo no mais famoso da cidade, o Sky Bar, local onde foi gravado o filme "Se Beber Não Case"! Leeembram?

Falei mais sobre o Sky Bar, nesse post RêVivendo Fotografias - Sky Bar Bangkok

noite em bangkok
Asiatique (acima) e Sky Bar (abaixo) são 2 dos vários ótimos lugares para se curtir a noite em Bangkok

ONDE FICAR EM BANGKOK


Nós ficamos todos hospedados no Chern Hostel, um hostel boutique super gracinha, muito bem decorado, boa localização, bom preço e muito aconchegante! O hostel tem quartos compartilhados e privativos. Fiquei num quarto duplo com cama king size que, olha, são bem melhores que muitos hotéis por aí! Pagamos 1200 bahts pelo quarto duplo, o que dá uns 50 e poucos reais por pessoa. Já o pessoal que ficou no quarto compartilhado pagou 400 bahts pela cama, pouco mais de 35 reais.

Nós compramos passagem de ida e volta por Bangkok mas, além da Tailândia, também conhecemos Camboja, Singapura, Malásia e Myanmar, como eu contei no post Roteiro de Viagem pelo Sudeste Asiático

Assim, no dia de pegar o voo de volta para o Brasil, ficamos no  BS Residence Suvarnabhumi, um hotel pertinho do aeroporto que, inclusive, tinha serviço de transfer in out gratuito. Na verdade ficamos apenas algumas horas lá, pois nosso voo de Myanmar chegou no meio da tarde e o voo de volta pro Brasil saía de madrugada. Era pouco tempo pra sair e passear por Bangkok, até porque o aeroporto é afastado da cidade e o trânsito caótico. Mas também era muito tempo pra ficar à toa no aeroporto. Então, reservamos esse hotel do lado do aeroporto, pra tomarmos um banho e descansarmos antes de encarar as mais de 30 horas de voo até chegar em casa.

E foi ótimo! O hotel tinha piscina, restaurante e serviço de massagem! Precisava de mais nada! E tudo super barato. Pra vocês terem uma ideia eu troquei apenas 20 dólares e foi com esse dinheiro que paguei o hotel, o jantar e algumas cervejas!

Uma outra amiga que ainda teria mais um dia inteiro pra curtir Bangkok na volta, foi pra cidade e ficou no Green House Bangkok, um hostel simples mas super bem localizado, ele fica na Rambuttri, aquela rua bonitinha do lado da Khao San. Ou seja, dá pra aproveitar a noite e voltar sozinha a pé pro hostel de boa!

Voltei em Bangkok exatamente um ano depois, mas passei apenas 2 noites e 1 dia. Foi só o tempo de descansar da longa viagem do Brasil pra Ásia, tomar umas cervejas na Khao San/Rambuttri e, na outra noite, no Asiatique, fazer umas massagens tailandesas, comer um pad thai (comida típica) e fazer uma sak yanti, tatuagem sagrada tailandesa feita por um monge budista com bambu. Enfim,  deu pra matar saudades e tomar um fôlego pra seguir viagem, dessa vez para conhecer o Laos, Vietnã e Filipinas.

Minha Sak Yanti, tatuagem sagrada tailandesa

Nessa segunda vez, fiquei hospedada no Rambuttri Village Plaza. A nota dele no Booking não é das melhores 7.7 (geralmente eu opto por ficar em lugares com nota acima de 8), mas te garanto que o lugar é legal. É bem simples, fato! Mas não tem nada de errado com o hotel e a localização é a melhor possível. Ele fica na Rua Rambuttri bem no burburinho, mas suficientemente afastado do barulho.    



RAILAY BEACH


Depois de Bangkok partimos pra um dos momentos mais esperados da viagem:  conhecer as famosas e paradisíacas praias tailandesas! A primeira parada foi Railay Beach, uma vilazinha super pequena e simples do jeitinho que eu adoro! 


O QUE FAZER EM RAILAY BEACH


Passamos 3 dias lá! No 1° ficamos só curtindo as praias de lá mesmo em especial a Pranang Beach! Que praia mais linda, gente! Fiquei completamente encantada! Água verdinha e deliciosa! Outra praia bacana é a Railay West. Lá é possível alugar um caiaque ou um SUP (Stand Up Paddle) pra explorar os arredores. Tem uma caverna ali pertinho bem bacana!

Pranang Beach
Railay Beach

Nos outros 2 dias, fizemos 2 passeios de barco para conhecer as ilhotas ao redor. Um dia fomos para a Hong Island e no outro, fizemos o tour das 4 ilhas passando por Tup Island, Chicken Island, Poda Island e finalizando na Pranang Beach, que seria a 4a "ilha". Ou seja, na verdade mesmo são só 3 ilhas.

Railay Beach Krabi
Hong Island
railay beach krabi
Poda Island

ONDE FICAR EM RAILAY BEACH


Ficamos hospedados no Viewpoint Resort que de resort mesmo só tem o nome. Portanto não se deixe enganar pelo nome, muitos hotéis na Tailândia tem resort no nome, mas não são o tipo de resort que a gente está acostumado. 


Apesar de um pouco antigo, eu gostei do lugar. Com certeza existem opções melhores e com preços mais acessíveis, principalmente fora de temporada ou, pelo menos, fora da altíssima temporada. Mas eu estava com um grupo grande e era véspera de réveillon. Então tudo fica mais complicado e mais caro. 

Sem falar que Railay não é o lugar mais barato de todos. Até por isso, muita gente prefere ficar m em Krabi que tem preços melhores e maior variedade. Mas eu curto mesmo é um lugarzinho mais rústico e menorzinho como Railay. Então, pra mim, não faz sentido nenhum ficar hospedado em Krabi! Mas muita gente faz isso! 



KO PHI PHI


Ko Phi Phiou apenas Phi Phi para os íntimos rs, fica um pouco mais afastada de Krabi em relação a Railay. Dependendo da embarcação, gasta-se de 1:30 a 2 horas. O tempo de viagem para Phi Phi a partir de Krabi é basicamente o mesmo saindo Phuket, outra cidade tailandesa de praia famosa e que tem aeroporto!

Embora muitos brasileiros escolham Phuket como base, eu não quis conhecer. Apesar de ter lugares mais tranquilos, tudo o que eu li dizia a respeito de praias lotadas, muita gente, muita festa, muita bebedeira, prostituição. Enfim, definitivamente, não faz o meu estilo! 

Bom, mas como estávamos em Railay, pegamos um barco direto de lá para Phi Phi. Na alta temporada, existe um barco que saí às 10h da manhã de Railay e chega em Phi Phi por volta do meio dia, ao custo de 400 baht (cerca de 40 reais). Já na baixa temporada é preciso voltar pra Krabi e depois pegar um outro barco de lá pra Phi Phi.

Nesse post eu explico direitinho como chegar em Phi Phi a partir de vários lugares diferentes, quais os horários, os preços, como fazer e tudo mais. 

O QUE FAZER EM PHI PHI 


Em Phi Phi tivemos 4 dias (metade do dia da chegada, metade do dia de saída e mais 3 dias inteiros) e 3 noites. Achei pouco. Tendo tempo, fique mais! 
Chegamos lá no dia 31 de dezembro (2016), doidos pra fechar o ano em algumaa praia paradisíaca de águas azuis que eu cansei de ver fotos na internet! Maaaas o tempo estava chuvoso e a praia bem sem graça!! Optamos então por ficar só curtindo uma pool party de leve mesmo e guardando forças pra noite de réveillon. 

Phi Phi Tailandia
Pool Party em Phi Phi debaixo de chuva! rs

Na noite do dia 31, jantamos em, um restaurante da vila e em seguida fomos para a praia. Lá compramos nossos buckets de bebida (o povo lá bebe no balde mesmo rs) e ficamos curtindo a festa na areia mesmo. Na hora da virada rolou contagem regressiva, música, abraços, 7 ondinhas, tudo como manda o figurino, menos fogos de artifício (parece que cancelaram em respeito à morte do Rei, que tinha acontecido 2 meses atrás). Foi ótimo! Terminamos a noite nos barzinhos da vila no melhor estilo "Se beber não case"!! Sem comentários! rs

Phi Phi tailandia
Galerinha ainda bonitinha e comportadinha no reveillon de Phi Phi

1° dia do ano... já pensando na ressaca do réveillon, a única coisa que marcarmos foi um passeio no meio da tarde pra ver o por do sol na famosa Maya Bay, aqueeeela do filme "A Praia", do Leonardo di Caprio. Pegamos a praia praticamente vazia (algo quase impossível durante a manhã) e, de quebra, nadamos à noite com os plânctons luminescentes em alto mar! Foi lindo!

Eu poderia dizer que começamos o ano em grande estilo, a festa de réveillon foi ótima e o passeio do dia 1º foi muito legal! Maaaasss... o meu celular caiu no mar e se afogou! Além de ter ficado sem celular por alguns dias (comprei outro depois, na Tailândia mesmo, bem mais barato que no Brasil, diga-se de passagem) eu ainda perdi todas as fotos que eu tinha tirado na viagem até então! 😭😭😭

Bom, mas voltando às praias, ficamos tão encantados com Maya Bay que resolvemos voltar na manhã seguinte para vê-la de uma forma diferente, já que à tarde o sol não bate na praia! Contratamos um long tail (barco típico) privativo e saímos de Phi Phi pouco depois das 6h da manhã e chegamos lá antes da 7h.

A praia ainda estava beeem vazia, menos do que na tarde anterior, mas ainda assim, vazia! O sol e as pessoas começaram a chegar depois das 8h. Fomos embora antes das 10h, quando a praia já estava bem cheia! E por todos os relatos e fotos que eu já vi de lá, provavelmente ela ainda iria encher muito mais!

Maya Bay A praia
Maya Bay umas 7:30 da manhã (à esquerda) e às 9h (à direita)

De Maya Bay fomos direto para Bamboo Island e pra Monkey Beach. Mas assim, se você tiver mais tempo, eu sugiro que faça os 2 passeios em dias diferentes! Cada praia fica pra um canto da ilha e achei meio cansativo fazer tudo no mesmo dia! Eu iria um dia pra Maya Bay e exploraria o lugar ao máximo e no dia seguinte iria pra Bamboo Island, Monkey Beach e Mosquito Island (que não chegamos a conhecer). Mas nosso tempo era curto, ainda mais porque teve o réveillon aí no meio, então não fizemos muita coisa no dia 31, nem no dia 1°.

No dia seguinte, o ferry pra Krabi sairia às 15h, então ainda deu de conhecer o Viewpoint, de onde se tem uma vista linda de toda a ilha, e também a praia de Long Beach que é um pouco mais afastada do centrinho de Phi Phi, mas que super vale a caminhada!


ONDE FICAR EM PHI PHI


Nós ficamos hospedados no recém inaugurado Panmanee Hotel! O hotel é simples e não tem piscina (como muitos na ilha têm), nem nada demais! Mas é ótimo! Confortável, espaçoso, limpo, tudo novinho e é super bem localizado! Ótimo custo x benefício!

Considerando que passamos o réveillon lá, achei o preço bem razoável (o quarto duplo saiu por 2.500 bahts, o que deu 110 reais por pessoa). Pra Tailândia, isso é caro. Mas fora da super temporada de réveillon, os preços em Phi Phi já caem consideravelmente! De toda forma, me digam: em que praia no Brasil você pagaria isso, num hotel do mesmo nível, em pleno réveillon?


CHIANG MAI


Das praias do sul da Tailândia voamos para o norte do país, onde conhecemos as cidades de Chiang Mai e Chiang Rai.

O QUE FAZER EM CHIANG MAI


Uma das principais atrações em Chiang Mai são os "santuários" de elefantes onde se pode ter um contato direto com eles. De antemão já adianto que mais de 90% desses "santuários", na verdade, são locais onde rolam maus-tratos e até mesmo tortura animal! Não estou brincando e muito menos exagerando! É sério! Seríssimo!

Pelo amor de Deus, não financiem esse tipo de coisa! Não subam subam nos elefantes, NÃO ANDE EM CIMA DELES. Isso é tão sério que eu escrevi um post exclusivo sobre o assunto. Dá uma lida aqui antes de mais nada: Falei mais sobre isso nesse post: Por que NÃO andar em elefante na Tailândia?

Elefante pintando quadros NÃO é natural! Vocês acham mesmo que eles nasceram com esse "dom divino"? Óbvio que eles passaram por um treinamento exaustivo pra chegar a esse ponto! Showzinhos com acrobacias, malabarismos, nada disso é natural! É crueldade! Eu suplico, não fechem os olhos pra esse tipo de coisa, não finjam que não sabem de nada! Já dizia o ditado: o pior cego é aquele que não quer ver"

Por favor, não financiem esse tipo de atração! Pesquisem ao máximo o "santuário" que vocês irão visitar! Depois de muita pesquisa, o único lugar que encontrei que é recomendado por todas as associações internacionais de defesa de animais é o Elephant Nature Park e foi o que visitei! Eles fazem um trabalho super bacana com animais que sofreram maus-tratos no passado, além de ser um dos poucos onde você pode interagir com elefantes de forma ética! Nesse post eu conto como foi minha experiência: Elephant Nature Park - Como interagir de forma ética com elefantes na Tailândia.

Elefante em Chiang Mai
Elephant Nature Park

Além dos elefantes, muita gente também visita as tribos da "mulheres girafas", aquelas com pescoços longos e cheios de argolas. Alguns amigos meus foram, mas eu não quis ir. Já li muita coisa a respeito e, pra mim, também é exploração! E algumas pessoas do grupo tiveram a mesma sensação depois de visitar o local!

Sei lá, uma coisa é você visitar o local e conhecer os hábitos e a cultural do local. Mas ali, pra começar, a tribo é fake, foi montada pra atrair turistas, e elas também estão lá expostas pra turista ver e tirar foto! Sem falar que paga-se um valor considerável (algo em torno de 50 reais) só pra entrar!  Muita gente (realmente bem intencionada, diga-se de passagem) acaba comprando lembranças na vila, na tentativa de ajudar financeiramente essa mulheres. Mas o dinheiro não fica com elas!

No dia que meus amigos estavam lá, eu optei por fazer uma aula de culinária tailandesa! Achei que seria uma experiência mais autêntica e genuína! E eu amei! Mesmo sabendo que, muito provavelmente, eu não repetirei nunca mais os pratos que eu aprendi lá, até pela dificuldade de achar os ingredientes aqui! Mas ainda assim, eu adorei a experiência! Achei muito interessante e que valeu super a pena! Quem tiver interesse, a fizemos na Mama Noi Cookery School! Mas existem muitas outras escolas do gênero.

curso de culinária Chiang Mai
Nossa super aula de culinária tailandesa

Bom, e além disso, Chiang Mai ainda tem vários templos bacana, claro! Pra mim o destaque é o Wat Phratat Doi Suthep, ele fica um pouco afastado da cidade, no alto de uma montanha, mas merece a visita.

Já os templos Wat Chedi Luang, Wat Phra Singh e Wat Sri Suphan, entre outros, ficam no centro da cidade e podem ser visitados a pé. À noite vale a visita ao Night Bazar, seja pra fazer compras com preços ótimos e/ou ainda pra jantar, beber umas cervejas e ouvir uma musiquinha ao vivo!'

Chiang Mai
Doi Suthep à direita e Chedi Luang à esquerda

ONDE FICAR EM CHIANG MAI


Em Chiang Mai ficamos hospedados no Mandala House, hotel super bem localizado, de onde podíamos fazer praticamente tudo a pé. Alguns amigos tiveram problema com seus quartos, mas foram prontamente atendidos e trocados de quarto.

Mas eu, particularmente, não tenho nada a reclamar. Pelo contrário, meu quarto era enorme, confortável e tinha uma vista bonita da cidade! A minha reclamação se limita apenas ao pessoal da recepção que não eram lá muito simpáticos não!

Mas assim, achei que pela localização e pelo preço (pagamos 1.300 baht a diária do quarto duplo, o que da menos de R$60,00 por pessoa por dia), valeu a pena! Pra quem quiser pagar ainda mais barato, uma amiga ficou hospedada no hostel London Backpacker em quarto compartilhado e gostou de lá! 

CHIANG RAI


Muita gente faz um bate e volta de Chiang Mai pra Chiang Rai. Mas, sinceramente, não acho que valha muito a pena! Não tô falando que não vale visitar Chiang Rai, muito antes pelo contrário! O que eu acho que não vale a pena é o bate e volta!

Seriam, pelo menos, 3 horas e meia só pra ir e o mesmo tanto pra voltar! Aí acaba que mesmo que o tour saia cedo, você vai chegar no atrativo principal da cidade o Templo Branco (White Temple), num horário que o lugar já estará lotado! E como já é de praxe de excursões do tipo, o tempo disponível para a visita é curtíssimo. E você ainda vai visitar outros lugares bem menos interessantes, que fazem parte do tour. Enfim, se você não tiver outra opção, encare! Mas saiba que será cansativo!

O que eu sugiro é que você passe, pelo menos, uma noite em Chiang Rai. Existem ônibus que ligam as 2 cidades, quase que de hora em hora. Além de ficar menos cansativo, você ainda consegue conhecer também outros lugares interessantes na cidade. Sem falar que pode chegar bem mais cedo no Templo Branco, antes de todas as excursões, e também ficar o tempo que quiser por lá, sem correria! De lá, é só pegar um voo, ou um ônibus, que seja, pra seguir viagem pro seu próximo destino, sem nem precisar voltar à Chiang Mai.


O QUE FAZER EM CHIANG RAI


O principal atrativo da cidade é, sem dúvida, o Tempo Branco. É por causa dele que as pessoas enfrentam horas na estrada, num bate e volta sem sentido de Chiang Mai! Ele é lindo e realmente vale o sacrifício, mas também existem outros lugares bem legais na cidade e que merecem a visita.

Leia mais detalhes sobre o belíssimo Templo Branco aqui nesse post.

Eu fiquei completamente encantada com todo o colorido do belíssimo Templo Azul! Não deixe de incluí-lo no seu roteiro! O Templo Preto e o Big Buddha também merecem uma visita. E Chiang Rai também tem seu Night Market, que é uma graça. Ótimo lugar para comer alguma coisa e fazer compras.

White Templo Chiang Rai
Templo Branco
Templo Azul Big Buda Chiang Rai
Templos de Chiang Rai

ONDE FICAR EM CHIANG RAI


Ficamos hospedados na fofa Na-Rak-O-Resort, uma pousada super gracinha, muito bem decorada, bem localizada e com preço ótimo. Pagamos (em janeiro/2017) 900 baht num quarto duplo, o que dá mais ou menos R$40,00 por pessoa. Super recomendo!

Querendo economizar ainda mais, uma opção é ficar no Ann Hostel, onde algumas amigas ficaram. Apesar de ser bem simples e dos quartos serem compartilhados, o hostel também tinha boa localização, ficava pertinho da nossa pousada.


Enfim, esse foi meu roteiro de viagem na Tailândia. Não posso dizer que tenha sido assim um roteiro ideal. Pois, como eu comentei, eu queria ter ficado mais tempo e conhecido outros lugares também. Mas foi o melhor que pude fazer com o tempo que tinha disponível.

Mas foi bacana porque deu pra curtir um pouquinho de cada coisa, tanto da louca megalópole Bangkok, como a parte cultural do norte do país (Chiang Mai Chiang Rai) e as praias paradisíacas do sul (Railay Phi Phi). Portanto, se você tiver um tempo parecido com o meu, sugiro que faça um roteiro semelhante também.


➤ Confira todos os posts já publicados sobre a Tailândia, aqui: RêVivendo a Tailândia


Veja mais fotos da Tailândia no Instagram do blog @revivendoviagens
É só procurar pela hashtag #RêVivendoaTailândia



--
Tá indo viajar? 

➥ Reserve sua hospedagem pelo Booking, o maior portal de hospedagem do Brasil. Garanta já o melhor preço e vários descontos. É rápido, fácil e seguro!




➥ Não se esqueça de fazer seu seguro viagem. A Real Seguros trabalha com as melhores seguradoras do país. Compare e escolha a melhor opção pra você. Viaje sem correr riscos!

Seguro viagem asia 728x90

➥ E se for alugar um carro, use o serviço da nossa parceira Rental Cars que compara preços e carros de várias locadoras no mundo todo!




✔ Você não paga nada a mais por nada disso, pelo contrário, economiza conseguindo os melhores preços e descontos! E ainda ajuda esse blog a se manter!! ✌

12 comentários :

  1. Oi, Renata. Tudo bem? :)

    Seu post foi selecionado para o #linkódromo, do Viaje na Viagem.
    Dá uma olhada em http://www.viajenaviagem.com

    Até mais,
    Bóia – Natalie

    ResponderExcluir
  2. A Tailândia é um dos países que eu mais tenho vontade de conhecer, mas sempre achei bem difícil montar um roteiro legal. Gostei bastante do seu e das suas dicas, com certeza vai me ajudar no planejamento e espero conhecer o país em breve!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahh que ótimo! Certeza que você vai amar a Tailândia!
      O país é incrível!

      Excluir
  3. Amei seu roteiro Renata, vou mostra pra meu marido que não é muito empolgado em ir pra Tailândia. Achei perfeita a divisão dos dias e o que você conseguiu aproveitar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah que ótimo! Tomara que você consiga convencê-lo! Tailândia é muito show! Um país verdadeiramente apaixonante! Certeza que vocês irão amar!

      Excluir
  4. Tailândia está no topo da minha lista, se tudo der certo vou em janeiro. Anotei todas suas dicas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahh você vai amar! Janeiro é excelente! Fui 2x nessa época!

      Excluir
  5. chiang rai e chiang mai são destinos imperdíveis, tem muita cultura, natureza e comida boa nessa região, é um must!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amei as 2 cidades também! São demais, né?

      Excluir
  6. Nossa, adorei este post. Que viagem dos sonhos! Nunca fui para o oriente, quero muito conhecer e essas dicas foram sensacionais! Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! :)
      Ahhh mas então você vai amar quando for! Certeza absoluta! rs

      Excluir

Comente aqui